Conscious Swimwear. Esta marca de biquínis é feita com lixo dos oceanos

A produção é 100% nacional e sustentável. Conheça os biquínis de Joana Silva, que fazem a diferença.

Dri Gomes, blogger e enfermeira, fotografou para a campanha da marca

O lixo retirado do mar é útil nas mais variadas áreas e já anda nas nossas roupas, calçado, acessórios e até nos fatos de banho. A sustentabilidade está cada vez mais intrínseca na moda e passou a ser tendência.

Joana Silva, 29 anos, trabalha na área de comunicação digital na L’Oréal Luxe, é mãe de Francisco, com quase 1 ano, e acaba de criar uma marca própria. Conscious Swimwear foi o nome que escolheu para este projeto que nasce a partir do seu gosto pela moda e da sua preocupação de longa data com o ambiente.

“Durante a minha licença de maternidade tive oportunidade de aprender a fazer coisas de que gostava, mas que nunca tinha tido tempo, como cerâmica e costura. Tive umas aulas de costura, onde fiz o meu primeiro biquíni e depois partilhei no meu Instagram. O feedback foi tão bom que fiquei a pensar no assunto”, explicou à MAGG.

Uma marca de fatos de banho e biquínis que usa apenas materiais sustentáveis. É o caso do econyl, um tecido italiano feito com lixo retirado dos oceanos e aterros de todo o mundo, como o plástico, rede de pesca ou restos de tecido. Ao econyl, juntam elastano, um material necessário para este tipo de produto.

“Achei que podia fazer a diferença. Tenho muita consciência ambiental e tento ter o mínimo impacto possível no dia a dia. Por isso, só quando consegui o tecido que queria e a mão de obra local e ética que queria é que decidi avançar. O que também gostava era de criar uma marca com biquínis simples, que é o que mais gosto e cuja oferta em Portugal não é grande”, afirma.

A primeira coleção da marca é composta por três padrões e três modelos de biquínis, separados por três partes de cima e três partes de baixo, e ainda dois modelos de chapéus em palhinha.

O cuidado com o ambiente e a promessa de uma marca sustentável, fez com que Joana Silva quisesse marcar a diferença em todos os pontos da marca, inclusive no packaging. As caixas onde as encomendas são enviadas são o mais pequenas possível, recicladas e recicláveis. Em vez de usar fita adesiva em plástico, usam fita adesiva feita com papel reciclado, as etiquetas são todas recicladas (e recicláveis também) e o fio que prende a etiqueta é de algodão 100% biodegradável. “Não há plástico envolvido em todo o processo“, garante.

A venda dos biquínis em separado é outra das características da marca e foi uma das primeiras decisões de Joana Silva. “Há pessoas que vestem o S em cima e o M em baixo e quero que todas possam usar [a medida que querem]. Daí também fotografar mulheres muito diferentes, para mostrar várias realidades e, dessa forma, as pessoas conseguirem ver como fica realmente o biquíni em cada corpo. Agora juntei também uns mini vídeos a cada produto para se ver ainda melhor como ‘caem’ no corpo.” A enfermeira e blogger Dri Gomes é uma das caras da campanha.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]