Passaram seis semanas longe dos olhares do público e preferiram passar o Natal longe da realeza. Mas mesmo que isso fosse o início para uma mudança, ninguém esperava que a decisão chegasse tão cedo. Meghan e Harry lançaram um comunicado esta quarta-feira, 8 de janeiro, a explicar que iam deixar de ser “membros sénior da família real britânica” e que desejavam ter independência financeira. Contudo, não deixarão de ajudar a coroa sempre que possam.

No mesmo comunicado, explicaram que a vida da nova família passará pelo Reino Unido mas também pelos Estados Unidos – país onde nasceu a ex-atriz. “Este equilíbrio geográfico vai permitir-nos criar o nosso filho com uma apreciação para com a tradição real na qual ele veio ao mundo, enquanto damos à nossa família o espaço para nos focarmos no próximo capítulo, o que inclui o lançamento de uma entidade de caridade”.

O post no Instagram dos duques de Sussex

Na conta official de Instagram, onde foi também lançado o comunicado, a maioria dos comentários são de desaprovação. “O Harry cometeu um grande erro na sua vida ao casar com a Meghan”, ou “Sinto pena pela sua Majestade, a Rainha, que tem sido muito digna e tem trabalhado (e continua a trabalhar aos 93 anos de idade) tão arduamente para mandar a reputação da família real. Mas a sério, a família dela não tem ajudado. Espero que a Rainha esteja bem porque ela deve estar muito magoada (todos sabemos que ela adora os seus netos e a sua família). E o príncipe Filipe deve estar tão chateado”, são alguns dos comentários que se podem ler na publicação.

Um outro chama a atenção para o timing em que foi feito este anúncio. Meghan e Harry anunciaram a retirada da família real a 8 de janeiro, um dia antes de Kate Middleton completar 38 anos. “Portanto isto foi lançado publicado um dia antes do aniversário de Catherine. Esplêndido. Isto é exatamente o que uma pessoa que quer tudo à sua maneira faria. Ao ler as suas regras e o seu caminho na biografia deles realça que eles farão tudo o que querem e que todos à volta serão condenados. Não são líderes aos meus olhos”.

Do nascimento de Archie ao escândalo com o príncipe André. O ano da família real em revista

Quem também não deixou escapar a oportunidade para lançar mais farpas a Meghan foi Piers Morgan. O apresentador britânico tem sido um crítico fervoroso no que toca ao papel e comportamentos da mulher de Harry e a novidade tem sido um dos temas mais falados no seu Twitter. “As pessoas dizem que sou muito crítica em relação a Meghan Markle – mas ela abandonou a família, abandonou o pai, abandonou a maioria dos antigos amigos, separou o Harry de William e agora separou-se da família real. Está tudo dito”, escreveu minutos depois do anúncio oficial.

Quer se goste ou não de Meghan Markle a verdade é que a ex-atriz já teve uma cota de polémicas a seu cargo. A separação da família real é apenas mais uma. A MAGG revê algumas das maiores controvérsias da duquesa de Sussex desde que foi anunciado o seu casamento com o filho mais novo da princesa Diana. Recorde a polémica com o pai, o secretismo em torno do nascimento de Archie e a controvérsia das férias a bordo de um jato privado.

As fotografias do pai e a falta no seu casamento

A entrada de Meghan Markle na família real britânica foi desde logo tumultuosa. Poucos dias depois do anúncio oficial de noivado, foram divulgadas fotografias de Thomas Markle a comprar cigarros e cerveja – o que não caiu bem junto da família de Harry. Mas a controvérsia com o pai da noiva estava só a começar. Para que conseguisse limpar a sua imagem e de forma a aumentar a sua reputação junto do público inglês, o pai de Meghan encenou algumas fotografias com um paparazzo. As imagens mostravam Markle a ver as fotografias do anúncio de noivado num computador e a tirar medidas para um fato de cerimónia – provavelmente aquele que deveria levar ao casamento da filha. Pouco tempo depois soube-se que tudo não tinha passado de um golpe de marketing com a irmã de Meghan, Samantha, a assumir as culpas e a defender que aquela ideia tinha sido sua.

Porque é que este homem perturba tanto a coroa britânica?

Poucos dias antes do casamento dos agora duques de Sussex, chegou um comunicado a explicar que Thomas Markle não iria estar presente na cerimónia devido a problemas de saúde. O pai de Meghan encontrava-se demasiado frágil para viajar e, por isso, não iria marcar presença naquele dia. Apesar desta versão, houve quem achasse que o facto de Thomas não se encontrar no casamento teria que ver com o embaraço que causou à família real.

O grandioso baby shower em Nova Iorque

Apesar de pertencerem a uma das famílias mais conhecidas do mundo, os membros da família real britânica tendem a ser discretos. À exceção dos casamentos, as celebrações costumam ser pequenas e sem grande alarido. Talvez tenha sido por isso que a casa real não tenha visto com bons olhos o luxuoso baby shower de Meghan Markle em Nova Iorque. A ex-atriz reuniu várias amigas de longa data num hotel naquela cidade norte-americana e fez uma festa que, segundo a imprensa internacional, terá custado 380 mil euros.

Foi assim o baby shower de Meghan que deixou William furioso

O irmão mais velho de Harry terá ficado particularmente irritado com estas notícias. Segundo um mordomo que trabalhou para a princesa Diana, William ficou furioso. “Apesar de William se dar com celebridades de primeira linha, ele não as leva para casa. Não são amigos, são pessoas com quem trabalha. O mundo das celebridades em que Meghan estava submersa parece ser o lugar onde todos os seus amigos estão, e isso só pode significar um desastre”, disse Paul Burrell.

O secretismo em torno do nascimento e as primeiras imagens do filho

O nascimento de um membro da família real é sempre visto com muito entusiasmo pela imprensa britânica. A expetativa é muita e ninguém quer ficar de fora no que toca a tirar as primeiras fotografias ao bebé. No caso da gravidez de Meghan o entusiasmo deu lugar a uma certa antipatia. Primeiro, o secretismo com que foi tratada a gestação não foi bem vista pela imprensa nem pelo público. Ansiavam-se notícias e novidades que nem sempre chegavam. No entanto, assim que a duquesa entrou em trabalho de parto a comunicação social foi avisada.

Archie Harrison Mountbatten-Windsor chegaria ao mundo a 6 de maio de 2019. Dois dias depois, foi a vez de a comunicação social conhecer pela primeira vez as feições do mais recente bisneto da rainha Isabel II. Mas até nesta situação houve problema. Primeiro, porque detalhes como o local do nascimento foram mantidos em segredo, por questões de privacidade, segundo porque não iria acontecer o tradicional momento fotográfico em frente ao hospital St. Mary’s, em Londres.

Duques de Cambridge Vs. Duques de Sussex. Diferenças e semelhanças na apresentação do bebé real

Meghan e Harry decidiram apresentar o filho de forma diferente. Para a ocasião escolheram um fotógrafo, um repórter e três câmaras, sendo que uma delas era de uma televisão norte-americana. A situação não caiu bem junto dos media ingleses. Mas há mais. De acordo com a imprensa local, os duques terão agendado a entrevista para uma hora que fosse possível coordenar com o arranque da emissão de um programa nos Estados Unidos. Curiosamente, o programa era apresentado por Gayle King, conhecida amiga de Meghan.

As férias a bordo de um jato privado

Meghan e Harry são adeptos fervorosos de temas como a defesa do planeta. Por isso, quando em agosto de 2019 foi noticiado que os duques tinham usado um jato comercial para se deslocar até Espanha, as críticas não tardaram em surgir. Segundo o “Daily Mail”, teriam sido gastos na viagem 22 mil euros apenas em custos de deslocação – o que exaltou a população inglesa. No entanto, o cantor Elton John veio a público defender Harry e Meghan dizendo que o jato era do próprio e que a pegada de carbono tinha sido neutralizada com uma contribuição à Carbon Footprint. Ainda assim, as críticas de hipocrisia e incoerência continuaram.

Meghan e Harry vão de férias num avião privado e são acusados de incoerência

O documentário onde Meghan foi gravada a chorar

No final de setembro, os duques foram em visita oficial à África do Sul. Meghan e Harry levaram o pequeno Archie e deixaram que o filho fosse fotografado, depois de vários meses sem notícias do mais recente bisneto de rainha. Os dois visitaram várias organizações de solidariedade e caridade e foi nessa dessas instituições que Archie recebeu um nome africano.

“Quando o vosso bonito rapaz nasceu, chamaram-lhe Archie. O nome Archie significa bravura e força. Por isso, para dar as boas vindas a Archie, a vossa família na Justice Desk deu-lhe o nome tradicional africano Ntsika. Este nome significa pilar de forças. Que ele seja um pilar de forças para aqueles que precisam”, disse a diretora da organização de direitos humanos Justice Desk.

Meghan e Harry em África. O look em homenagem a Diana e o novo nome de Archie

Mas nada causou mais polémica do que o documentário lançado depois da visita dos duques àquele país. Em “Meghan e Harry: Um Jornada African”, Harry deixa pistas sobre o afastamento de William e Meghan deixa-se emocionar quando Tom Bradby lhe perguntou se estava bem. “Obrigada por perguntar porque não foram muitas as pessoas a perguntar se estou bem. Mas é uma coisa muito real que se passa por detrás de tudo”, disse na altura.

A emoção de Meghan e o afastamento dos irmãos não caiu bem junto dos subtidos, que continuam a crer que Harry e William se separaram devido à mãe de Archie.