Está novamente toda a gente de olhos postos na Apple. O próximo evento da multinacional tecnológica acontece já esta terça-feira, 10 de setembro, e à semelhança do que aconteceu no ano passado, já se sabe quase tudo o que vai ser anunciado. Dificuldade em manter segredo ou jogada de marketing? As opiniões dividem-se. No entanto, a empresa americana foi capaz de gerar um burburinho atípico e maior do que é normal quando os primeiros convites para a conferência começaram a ser enviados à imprensa.

“Apenas pela inovação”, é o texto que acompanha o convite e que parece contrariar algumas das descobertas publicadas por revistas especializadas em tecnologia, como a “Bloomberg”.

Apple. Primeiro iPhone apresentado por Steve Jobs era uma fantochada (mas ele enganou toda a gente)

Segundo escreve a publicação, as novidades prometem ser pequenas atualizações aos produtos mais populares da empresa, mas o convite da Apple levanta suspeitas sobre a possibilidade (ou não) de uma surpresa no final do evento.

A propósito deste, que vai ser transmitido no site da marca e no YouTube a partir das 18 horas, a MAGG reuniu tudo aquilo que se espera que seja anunciado. Spoiler: há pelo menos três novos iPhone, todos eles caros, e um Apple Watch pouco diferente da versão atual.

AirPods com cancelamento de ruído?

Segundo a revista “Bloomberg”, sabe-se que está nos planos da empresa lançar um novo modelo de AirPods com ênfase em duas funcionalidades importantes: melhorar a resistência do equipamento à água e apostar no cancelamento de ruído — funcionalidade que já faz parte de alguns dos auscultadores mais caros do mercado.

Depois de o equipamento ter sido atualizado ainda em março, não há certezas de que uma nova versão chegue aos mercados ainda este ano embora a mesma publicação não descarte essa possibilidade.

Sabe-se apenas que, a ser anunciado, vai ser muito mais caro do que os atuais modelos à venda por 229€ e 179€. Resta saber o tamanho da diferença.

O novo Apple Watch vai registar padrões de sono

No ano passado, o relógio inteligente da Apple foi líder de mercado e surgiu de cara lavada: mais pequeno, fino e esteticamente mais bonito do que antecessor. Talvez por isso não se esperem grandes mudanças em termos de design, a não ser a introdução de dois novos materiais: a cerâmica e o titânio. Seja qual for a versão que acabe por escolher, promete ser mais cara do que o modelo em alumínio que, atualmente, custa 439€.

Dez coisas que eu não sabia que o meu iPhone faz

Segundo a revista “The Verge”, espera-se que o Apple Watch 5 tenha um novo processador, mais rápido e eficiente, bem como a funcionalidade que permita registar os padrões de sono dos utilizadores.

São esperados novos computadores Mac

A pensar nos utilizadores mais profissionais e que precisem de ecrãs maiores nos seus portáteis, a revista “Bloomberg” adianta que há uma forte possibilidade de a Apple lançar uma nova versão do seu MacBook Pro. E desta vez vai ser fabricado uma nova versão com 16 polegadas de ecrã.

A moldura, ou o rebordo negro em volta do ecrã, será o mais fina possível para que o tamanho do equipamento seja o mais parecido possível aos portáteis de 15 polegadas da marca.

iPad. Novos processadores e câmaras, mas o design vai manter-se inalterado

Depois de, em 2018, os iPad Air e iPad Mini terem sido atualizados, a mesma publicação explica que o mais provável é a atualização do iPad Pro.

Está previsto que os modelos de 11 e 12.9 polegadas ganhem novas câmaras e processadores mais rápidos e eficientes. Isto significa que além de poder tirar melhores fotografias com o iPad, vai ainda poder editar fotografias, vídeos ou jogar títulos mais exigentes sem grande esforço.

Os novos iPhones para todos os gostos e carteiras

Tal como os novos iPad, também os três modelos de iPhone vão usar o mesmo design desde o iPhone X. A revista “The Verge” adianta que os nomes dos novos equipamentos se vão chamar iPhone Pro, iPhone Pro Max e iPhone 11. Os dois primeiros vão substituir o iPhone XS e XS Max, enquanto o 11 promete ser o substituto do atual XR.

Quanto às novidades, a “Bloomberg” garante que as principais mudanças vão acontecer nas câmaras traseiras dos modelos Pro que vão contar com três lentes, em vez de duas, para fotografias mais amplas e com maior resolução.

A mesma publicação fala ainda na funcionalidade de carregamento revertido por wireless, permitindo carregar outros equipamentos através da traseira do iPhone — um pouco à semelhança do que já acontece nos novos topos de gama da Huawei.

Em sete dias, gastei 18h27 minutos agarrada ao telemóvel

Além de melhorias na capacidade de resistência à água, os novos iPhone Pro vão ainda ter um sensor de reconhecimento facial melhorado. Isto significa que vai poder desbloquear o telemóvel sem o levantar da mesa e sem ter de se curvar demasiado para que o sensor o reconheça.

Já o sucessor do iPhone XR, que além de ser o mais barato deverá assumir o nome iPhone 11, promete ter duas câmaras ao contrária da única traseira que existe no modelo atual. Todos os equipamentos vão ter processadores melhorados mas não vão ser capazes de captar 5G.