Sabia que a lua tem a forma de um limão? 11 factos incríveis sobre o satélite

Um astronauta descobriu da pior maneira que era alérgico à lua e houve quem deixasse por lá um desenho obsceno de Andy Warhol.

A lua tem pouco mais de um quarto do tamanho da Terra

A lua é o satélite mais próximo da Terra no nosso sistema solar, mas apesar da proximidade (e admiradores) persistem muitas perguntas sem resposta quando o tema é aquela bola branca. Os cientistas ainda não sabem ao certo como se formou a lua, por exemplo, e outros factos — como a sua forma (mais parecida com um ovo do que esférica) e consistência da superfícies (empoeirada mas firme) — só foram confirmados recentemente.

Esta terça-feira, 19 de fevereiro, vai haver uma super lua. Segundo o Observatório Astronómico de Lisboa, a lua vai parecer 14% maior e 30% mais brilhante. Em 2019 comemora-se também o 50.º aniversário desde que Apollo 11 aterrou na lua com Neil Armstrong e Buzz Aldrin, as primeiras duas pessoas a pisar a superfície lunar, e a NASA prepara-se para voltar ao satélite pela primeira vez em décadas.

Mostramos-lhe 11 curiosidades surpreendentes sobre a lua, segundo o site “Mentalfloss“.

1. A Lua pode ter-se formado quando um objeto gigante atingiu a Terra

Apesar de não ser unânime em toda a comunidade científica, a teoria mais aceite sobre a criação da lua é a hipótese do “impacto gigante”. Segundo essa teoria, um objeto do tamanho de Marte, chamado Theia, colidiu com a Terra há cerca de cinco mil milhões de anos, quando o sistema solar ainda era novo e caótico. O impacto desalojou a matéria da crosta terrestre, e os detritos ligados a tudo o que restou de Theia, através da força da gravidade.

Esse cenário explicaria o porquê de a Lua ser composta por elementos mais leves, encontrados na camada externa da Terra, mas ainda deixa algumas perguntas sem resposta. Se a hipótese do “impacto gigante” estiver correta, cerca de 60% da lua deve consistir no objeto de impacto. Em vez disso, a sua composição é quase idêntica à da Terra. Há explicações alternativas: uma de que a lua é um objeto espacial que foi encontrado na órbita da Terra, e outra sugere que a lua e a Terra se formaram ao mesmo tempo. Ainda assim, nenhuma é tão popular como a “teoria do impacto gigante”.

2. A lua tem o tamanho perfeito para eclipses solares

Um conjunto de circunstâncias tornam possíveis os eclipses solares totais, vistos da Terra. A Lua tem o tamanho e a distância certas para parecer do mesmo tamanho do que o sol no céu. Quando a lua passa entre o sol e a Terra, ela cobre o sol perfeitamente com uma impressionante coroa a iluminar as suas extremidades. Se fosse menor ou mais distante da Terra, pareceria uma mancha no sol durante um eclipse solar.

3. Uma lua cheia tem designações diferentes consoante a estação do ano

É habitual referirmo-nos à fase da lua em que a sua totalidade é refletida na Terra como lua cheia, mas a verdade é que o nome varia consoante a estação do ano. O termo lua cheia está correto quando nos referimos à lua mais próxima do equinócio de outono, mas há outros nomes — é o caso de lua de lobo (primeira lua cheia de janeiro), lua de morango (junho) e lua de esturjão (agosto).

4. A nossa lua não é a maior do sistema solar

Essa distinção vai para Ganymede, uma das 79 luas de Júpiter — mas é a maior em relação ao planeta que orbita. Com um diâmetro de 3.475 quilómetros e uma superfície de 23,5 milhões de quilómetros quadrados, a lua tem pouco mais de um quarto do tamanho da Terra. O planeta anão Plutão tem uma relação lua-planeta ainda menor. A maior lua de Plutão, Charon, é quase do tamanho do seu corpo hospedeiro, levando alguns astrónomos a referir-se ao par como um planeta anão duplo.

5. A lua tem a forma de um limão

A lua pode parecer perfeitamente redonda no céu escuro, mas na verdade é mais oval. Ela surgiu há milhares de milhões de anos, quando forças de maré super-quentes moldaram a sua crosta, aquecendo algumas áreas mais quentes do que outras, para formar uma forma de limão, em vez de uma esfera perfeita. Forças gravitacionais da Terra ajudaram a exagerar a aparência oblonga (forma geométrica que possui mais comprimento que largura) da Lua ao longo de eras.

6.  Os cientistas pensavam que quem aterrasse na lua poderia afundar-se

Quando se preparavam para enviar missões à lua, alguns cientistas temiam que uma espessa camada de poeira na superfície do corpo causasse complicações. Um dos mais fortes proponentes da teoria da poeira foi Thomas Gold, um astrofísico da Universidade de Cornell. Ele insistiu que a lua estava coberta de mares de poeira macia e espessa o suficiente para engolir um módulo lunar. Embora a superfície da lua esteja empoeirada, a camada é muito fina para causar problemas, como provaram as aterragens bem-sucedidas das naves soviéticas Luna 9 e American Surveyor, em 1966.

7. A lua é propriedade internacional

Os astronautas Buzz Aldrin e Neil Armstrong podem ter plantado uma bandeira americana na lua em 1969, mas ela pertence ao mundo. Países como a União Soviética e os EUA asseguraram isso mesmo quando, no auge da corrida espacial em 1967, assinaram o Tratado do Espaço Exterior, um documento que declarou que a lua seria um “património global” e quaisquer recursos ali descobertos seriam usados para o bem do mundo em geral. Em consonância com o espírito do acordo, a NASA partilhou amostras de solo retiradas da lua com cientistas soviéticos no retorno da missão Apollo 11.

8. Humanos têm deixado coisas estranhas na lua

Desde que as primeiras pessoas aterraram na lua em 1969, a sua superfície tornou-se lar para mais do que apenas poeira. Os artefactos da Terra deixados na lua por astronautas incluem duas bolas de golfe, um obsceno desenho de Andy Warhol e uma mensagem da rainha Isabel II. Eugene Cernan, comandante da Apollo 17 e uma das últimas pessoas a caminhar na lua, traçou as iniciais da filha no solo quando a visitou em 1972. Sem vento ou clima na Lua, as letras TDC podem permanecer lá para sempre.

9. O “lado negro da Lua” é o resultado da rotação sincrónica

Mesmo estando constantemente a girar, apenas um lado da lua é visível da Terra. Isso ocorre porque a lua está trancada em rotação síncrona. Leva a lua o mesmo tempo para completar uma rotação completa, assim como para o corpo orbitar ao redor da Terra uma vez, então o mesmo lado está sempre voltado para o nosso planeta. Isto não é uma coincidência — as forças gravitacionais da Terra gradualmente puxaram a ponta da lua ligeiramente oblonga para apontar em direção ao planeta, criando algo chamado bloqueio de maré.

No mês de janeiro, a agência espacial chinesa lançou a primeira sonda lunar no lado escuro e inexplorado da lua. A nave Chang’e 4 enviou as primeiras fotografias de uma enorme cratera de impacto no lado escuro da Terra, dando aos cientistas o primeiro vislumbre daquela região desconhecida.

10. Um astronauta era alérgico à lua

O astronauta da Apollo 17, Harrison “Jack” Schmitt, descobriu da maneira mais difícil possível que algumas pessoas são alérgicas à matéria da lua. Após um levantamento de um vale no Mar da Serenidade, ele subiu de volta ao módulo lunar da tripulação e rastreou com ele muita poeira da lua. A poeira afetou-o assim que removeu o traje espacial, provocando olhos vermelhos, ataques de espirros e outros sintomas que duraram duas horas.

11. Humanos vão regressar à lua brevemente

Depois de completar várias missões tripuladas à lua, a NASA encerrou o programa Apollo em 1972, com os orçamentos apertados e o interesse público enfraquecido. Isso significa que a maioria das pessoas que vive hoje nunca testemunhou um pouso lunar tripulado.

Isso está prestes a mudar. Após um hiato de quase 50 anos, a NASA está finalmente a preparar-se para voltar à lua. A próxima expedição lunar tripulada estará pronta para ser lançada “no máximo até o final de 2020”, segundo a agência espacial. Um dos objetivos será colocar um módulo de comando, chamado Gateway, na órbita da Lua, que os astronautas possam reutilizar em várias missões.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]