O verão começou tarde mas veio em força. Depois de um julho com ares de abril, agosto começou com uma Lisboa a bater recordes de temperatura e um fim do mês que já está a deixar em aviso amarelo vários distritos do País.

Os portugueses rumam a sul, chegam-se mais ao litoral, aproximam-se de onde há praia e passam as tarde em praias fluviais. Vale tudo para aproveitar o sol que — cada vez mais— não se sabe se é de pouca dura.

Mas usufruir dos meses de calor não se faz só de sol, sal e pele bronzeada. Se o verão se vive também à mesa e pede refrescos, petiscos, gelados, cocktails e chás gelados, é isso que os restaurantes, bares e cafés deste País dão.

A MAGG também está na luta entre o fugir do calor nas horas perigosas, sem deixar de usufruir daquilo que de bom esta época traz. E é de copo na mão e gelado na outra que deixamos aqui algumas das últimas novidades para aproveitar no verão que, tendo em conta o atraso no arranque, se espera que tenha um prolongamento até lá para outubro.

Afogado em granita da Grom

A Grom é uma das mais recentes gelatarias de Lisboa. Fica no Chiado, na rua Garrett

Foi uma das grandes novidades do verão lisboeta. A Grom chegou finalmente a Portugal e trouxe ao Chiado gelados italianos feitos à moda antiga: com ingredientes de origem natural, sem aromas, corantes ou conservantes.

As opções de sabores são mais do que muitas, mas existem alguns especiais, a pensar no verão. São eles o sorvete de melão e o de pêssego, por exemplo, que se vêm juntar aos clássicos morango, framboesa ou limão.

Mas a novidade mais fresca da gelataria é mesmo o affogato — que na sua versão original mergulha uma bola de gelado de nata em café expresso —mas que aqui é literalmente afogado numa granita siciliana. A ideia é escolher o sabor da granita, que pode ser de mornago, limão ou amêndoa e adicionar o gelado de um sabor a escolha, montando assim uma versão personalizada da bebida italiana.

Costa Vicentina. 10 restaurantes imperdíveis

O affogato custa entre 4,40€ na versão pequena e 6,40€ na versão maior. E os que preferem manter-se fiéis aos sabores tradicionais, vão sempre encontrar o affogato feito com base de café (5€ o pequeno e 6,90€ o grande).

Morada: Rua Garrett, 42, Lisboa
Horário: 11h-00h

Peste e Sidra: a nova sidra da Musa

A sidra da musa custa 3€ e, apesar de ter sido lançada no verão, parece que veio para ficar

A Musa já nos habituou a sabores fortes e nomes de cervejas que dão vontade de rir a cada pedido ao balcão. Já tínhamos a Mick Lager, a Red Zepplin e a Twist & Stout e agora, na versão portuguesa dos trocadilhos, chegou a Peste e Sidra, uma sidra artesanal, biológica e sem açúcares adicionados. Não espere por isso aquele travo doce ao qual as sidras da moda nos habituaram. Na Musa, a sidra sabe a sidra, que é como deve ser (e custa 3,50€).

Morada: Rua do Açúcar, 83, Lisboa
Horário: terça e quarta-feira 16h-24h, quinta e sexta-feira 16h-02h, sábado 14h-02h, domingos 14h-22h

Segundo Muelle tem ceviches e piscos em happy hour

Todos os petiscos ficam a um preço especial durante a happy hour, que acontece todos os dias das 16h às 19h

Din 21

Os ceviches estão por todo o lado, como se de repente a gastronomia portuguesa tivesse acordado para um mundo em que o peixe cru cabe na ementa de qualquer restaurante. Mas se o quer comer da forma mais genuína que existe, é inevitável que não surja em conversa o nome do Segundo Muelle, o restaurante peruano que há dois anos apresentou Lisboa às maravilhas da América do Sul.

Agora, e a pensar no tempo quente, o espaço ganhou uma esplanada e uma happy hour de petiscos e cocktails. Das 16 às 19 horas, há três novos piscos para provar: o Pisco Suor Seducion, um batido com pisco quebranta, licor de chocolate branco e clara de ovo, o Pisco Brisa de Mar, um batido composto por pisco quebranta, licor de pepino e clara de ovo e o Porto Sour, um batido que nasce da fusão entre a tradição peruana e a tradição portuguesa, conjugando o pisco quebranta com o vinho do Porto. Todos eles ficam a 6,25€ (em vez dos habituais 7,80€).

Para petiscar há ceviches e tiraditos e até sobremesas a preços especiais. A mousse de lucuma, por exemplo, uma das mais pedidas da casa, feita com lucuma (um fruto originário do Peru), chocolate e caramelo salgado passa dos 5€ para os 4,40€.

Morada: Praça D. Luís I, 30, Lisboa
Horário: 12h-24h, sexta-feira e sábado até à 01h

MyIced lança gelado de mojito

Todos os gelados do MyIced são sem açúcar, glúten ou lactose. Criaram até um gelado de carvão vegetal e, não contentes com as inovações, lançaram para este verão um gelado de mojito. É verde, continua light (por cada 100 gramas, tem apenas 74 calorias), não tem álcool e aproxima-se do sabor da bebida graças aos pedaços de limão e lima.

A marca, que já tem gelatarias espalhadas por todo o país, aproveitou esta onda verde para anunciar que os gelados passam agora a ser servidos em copos de papel e o bubble tea — chás de fruta servidos com pequenas bolas de tapioca — estão disponíveis em canecas de vidro reutilizáveis.

14 restaurantes para evitar o trânsito da ponte depois da praia

Morada e horário: pode consultar aqui a lista completa das lojas

Starbucks aposta nos refrescos e chás gelados

Sabia que um frapuccino do Starbucks pode ter mais de 500 calorias, mais até do que um Big Mac? Calma, respire fundo, nem tudo está perdido. A cadeia de cafés mais conhecida do mundo pensou no verão quando decidiu lançar uma versão light desta bebida, com menos 30% das calorias e feito com leite magro.

Se mesmo assim optar por algo mais leve, há toda uma gama de chás gelados, os Teavana (3€), com sabor a pêssego, ananás e morango, com a opção de serem feitos com zero açúcares.

E até na comida há toda uma lista a pensar nas refeições feitas em dias de calor: salada vegetariana de quinoa vermelha, bróculos e edamame, a salada de arroz tricolor, atum e ovo e salada de quinoa com frango (preços desde os 4,20€).

Morada e horário: pode consultar aqui a lista completa das lojas

Oficina do Duque lança a sua própria cerveja

A Extraordinária custa 3,40 e pode lançada no Dia Internacional da Cerveja

Renovaram a carta, o chef e até a esplanada. A Oficina do Duque reabriu de cara lavada e, para brindar à ocasião, aproveitou o Dia Internacional da Cerveja — que se celebra a 3 de agosto — para lançar uma só sua.

A Extraordinária, nome dado pela “dedicação em conceber um produto comum como uma cerveja e torná-la especial”, como explicam os criadores, custa 3,40€ e pode ser apreciada como acompanhamento de alguns dos pratos da casa, desde o mais simples polvo cozido com batata a murro, até a um mais complexo borrego confitado com cuscuz.

Morada: Calçada do Duque 43A, Lisboa
Horário: todos os dias 12h-23h