Vivemos tempos conturbados em Lisboa. O boom do turismo, que tem obviamente grandes benefícios, também possui o seu lado negro. Inflaciona os preços das rendas ao ponto de se pedirem valores astronómicos por um quarto, faz com que restaurantes tenham de se mudar para não deixarem de ser sustentáveis e que a procura por uma casa na capital seja mais complicada do que a jornada de Indiana Jones para encontrar o Santo Graal.

No entanto, e por mais que as queixas sobre os preços praticados na capital sejam o pão nosso de cada dia, a verdade é que existem casos piores — melhor dizendo, cidades bem mais caras para viver do que Lisboa.

Um estudo recente divulgado pelo site Numbeo revelou as 20 cidades mais caras do mundo para se viver e, contra todas as evidências, capitais como Londres e Paris não constam da lista — e Nova Iorque só surge após o décimo lugar. Hamilton, a capital das Bermudas, arrecadou o primeiro lugar na tabela, sendo considera pelos autores do estudo a cidade com o maior custo de vida no mundo. E mais, esta é uma classificação que Hamilton mantém há quatro anos consecutivos, sendo a cidade com os restaurantes mais caros e custos elevados nos transportes, supermercados e vários serviços.

Vai ser inaugurada a ciclovia mais bonita da Europa (e talvez do mundo)