A Airbnb vai proibir que os utilizadores da sua plataforma em todo o mundo usem o serviço para arrendar casas para festas. A decisão foi anunciada depois de, na semana passada, cinco pessoas terem morrido num tiroteio em Orinda, no estado da Califórnia, nos Estados Unidos da América.

A tragédia aconteceu na noite de Hallowen, a 31 de outubro, quando mais de 100 pessoas se deslocaram até uma casa inscrita na plataforma Airbnb e que estava a ser publicitada nas redes sociais como uma casa de festas ilegais. Embora ainda não se saiba o que motivou a troca de tiros, a verdade é que quando polícia chegou ao local três pessoas já se encontravam sem vida. As outras duas acabaram por morrer no hospital devido aos ferimentos.

O que se sabe sobre os dois tiroteios em massa que mataram 30 pessoas nos EUA?

Segundo o jornal americano “San Francico Chronicle”, o dono da casa alega que terá arrendado o alojamento a uma família que procurava organizar um encontro com todos os membros familiares que não via há muito tempo.

Terá sido nessa mesma noite que o anfitrião, depois de receber uma queixa por excesso de ruído na sua casa, verificou através das câmaras de segurança que tinha colocado ao redor do perímetro que o seu alojamento estava a ser utilizado para uma festa.

Nesse momento, chamou a polícia, mas sem nunca desconfiar de que estaria para acontecer um tiroteio que tiraria a vida a cinco pessoas e que obrigou agora a Airbnb a tomar e decisão de proibir casas de festas ilegais.

O comunicado surgiu no Twitter por Brian Chesky, CEO e co-fundador da Airbnb: “A partir de hoje, vamos proibir casas de festas e vamos redobrar os nossos esforços na tentativa de combater festas ilegais e minimizar comportamentos abusivos entre anfitriões e hóspedes. Em especial, certo tipo de comportamentos que possam conduzir aos acontecimentos horríveis de Orinda.”

Ainda através do Twitter, Chesky garantiu que plataforma de reserva de alojamentos vai começar a expandir uma funcionalidade de segurança que permite uma triagem manual de reservas que possam vir a ser consideradas de alto risco — e que são detetadas pelo próprio sistema da plataforma.

EUA. A venda de mochilas à prova de bala aumentou após os tiroteios de El Paso e Dayton

Mas não se ficou por aqui. O CEO anunciou também que vai ser criada uma equipa especializada para lidar com casas de festas ilegais e cuja ação deverá ser imediata sempre que exista uma denúncia. As ações desta nova equipa passarão pela identificação e remoção de todos os hóspedes que violem os termos e condições do serviço.

“Temos de ser melhores do que isto e vamos ser. O que aconteceu é inaceitável”, lamentou. A tragédia que resultou na morte de cinco pessoas está agora a ser investigada e os atiradores ainda não são conhecidos.