Papinhas para bebés, cereais, vegetais embalados, refeições prontas, biscoitos ou até sumos podem estar contaminados nos EUA. Uma pesquisa publicada pela Consumer Reports, organização dedicada à realização de testes em várias áreas, analisou 168 alimentos de 61 marcas locais distribuídas pelo país — incluindo algumas das mais populares, como a Gerber e Earth’s Best.

Dos 168 produtos, o estudo afirma que encontraram 95% de chumbo, 73% de arsénio, 75% de cádmio e 32% de mercúrio. A cada 20 amostras, 19 continham quantidades percetíveis de pelo menos um metal. Mais: 1 em cada 4 alimentos testados continha todos os quatro metais e apenas nove não continham resíduos.

Os bebés também têm depressões

O relatório da análise foi feito pela  Healthy Babies Bright Futures (HBBF) que alertou para os riscos da presença destes metais para o desenvolvimento cerebral dos bebes. A organização afirmou: “Mesmo nas quantidades diminutas encontradas nos alimentos, esses contaminantes podem alterar o cérebro em desenvolvimento e corroer o QI de uma criança”.

A Consumer Reports referiu que aproximadamente 30% dos produtos alimentares poderia apresentar potenciais riscos de saúde se fosse consumido diariamente, tendo em conta as quantidades de metais tóxicos presentes. Pelos testes, entre os produtos que apresentam maior quantidade de metais tóxicos estão os produtos à base de arroz — como as tostas de arroz —, cereais e biscoitos.

“Cheesed challenge”. Novo desafio da internet é atirar fatias de queijo à cara de bebés (sim, há gente a filmar isto)

A Universidade Columbia em Nova Iorque realizou, em 2004, um estudo com crianças no Bangladesh que consumiam água potável com arsénio para tentar perceber se existia uma relação com a diminuição do QI. Os resultados indicaram que o aumento de 50% dos níveis de arsénio na urina podia estar associado à diminuição do QI nas crianças entre 5 e 15 anos. As crianças que estavam expostas a este metal apresentaram uma pontuação inferior nos testes intelectuais — o que vai ao encontro dos resultados do relatório da HBBF.

Os resultados da Healthy Babies Bright Futures (HBBF)  também foram semelhantes a um estudo realizado pela Food and Drug Administration (FDS), que encontrou metais em 33 dos 39 tipos de comida para bebé. Para a prevenção de possíveis problemas, a Healthy Babies aconselha, em relação ao arroz (um dos produtos com maiores quantidades de metais tóxicos), a lavar várias vezes antes de o cozinhar. Segundo os estudos da FDA este processo pode reduzir os níveis de arsénio em 60%.