Arranhar é um ato tão natural para os gatos como respirar, comer ou dormir. Faz parte da sua natureza: eles sentem necessidade de afiar as unhas, alongar os músculos e retirar as “capas” das garras velhas para que cresçam novas. Problema? Muitos destes felinos ignoram por completo a existência dos arranhadores e preferem meter as unhas nos sofás, colchas e cadeiras.

A pensar neste problema, surgiram as unhas postiças para gatos. De vários materiais, cores e tamanhos, são colocadas sobre as unhas dos felinos, com a ajuda de cola. As marcas garantem que é tudo inofensivo para o animal, não há utilização de produtos tóxicos e, em caso de ingestão acidental, o produto não é absorvido. Portanto, será expelido naturalmente, sem causar nenhum dano.

A venda das unhas postiças intensificou-se com a proibição, na maioria dos Estados-Membros e de outros países do mundo, da operação para remover as unhas dos gatos. Esta intervenção cirúrgica nos felinos foi praticada durante muitos anos para tentar diminuir o comportamento natural destes animais: arranhar. Apesar desta lei de proibição já ter 10 ou 15 anos na maioria dos países europeus, em Nova Iorque só entrou em vigor este ano.

Em Portugal, já houve quem aderisse às unhas postiças para gatos. Foi o caso de Joana Prata, que escreveu a sua experiência no seu blogue, “O Meu Animal“: “Quando todas as tentativas falham, o dono pode considerar colocar unhas de silicone. As unhas de silicone para gatos resolvem o problema instantaneamente e sem grandes complicações”.

Já Dona Pavlova, autora do blogue “Clube de Gatos do Sapo“, disse: “Este produto parece ser fabuloso, simples e é uma ideia brilhante”. Incitando a comunidade a partilhar a sua experiência, houve de facto quem garantisse a sua eficácia: “Eu ponho nos meus gatos! Mas que ideia brilhante… é do melhor que há. Eles nem sentem que as têm”, escreveu uma seguidora.

Mas será que os veterinários têm a mesma opinião?

Para Fábio Santos, médico veterinário, as vantagens e desvantagens deste acessório estão diretamente relacionadas com o comportamento e personalidade do animal. Portanto, variam de gato para gato. No entanto, se os felinos se adaptarem às unhas postiças, pode estar aqui a resposta para o problema dos arranhões.

“Algumas das vantagens das unhas postiças são o impedimento de causar estragos e impedir arranhadelas, tanto às pessoas, como a outros gatos”, explica à MAGG, acrescentando: “Acredito que as unhas postiças podem ser uma solução para problemas que alguns donos de gatos costumam apontar”.

Na opinião do médico, as unhas devem ser usadas apenas em animais adultos para evitar o perigo de obstrução intestinal caso o gato ingira a unha postiça. 

10 coisas que pode (e deve) aprender com o seu gato

Mas há mais cuidados a ter: “Quando o tamanho não é o adequado, [as unhas postiças] podem dificultar o movimento do animal e a sua defesa”.

Portanto, o produto deve ajustar-se de forma perfeita, em comprimento e largura, à unha do animal. Após a aplicação, o tempo de duração da unha postiça ronda as quatro a seis semanas, dependendo do comportamento do felino. 

Fábio Santos alerta ainda para a importância da qualidade do produto: no caso das unhas de menor qualidade, pode acontecer o aparecimento de dor e incómodo, dificultar o comportamento de limpeza do próprio animal ou até alergia à cola utilizada.

Em Portugal, as unhas postiças estão à venda em sites da especialidade. Na Tienda Animal, por exemplo, um pack de 40 unidades custa 20,39€.