Há casais que não querem saber o sexo do filho antes do momento do parto, outros até sabem mas preferem manter o tema num núcleo mais íntimo até ao nascimento. Mas para um casal inglês, o parto da criança não acabou com o mistério em relação ao género.

Decididos a proteger a criança do preconceito de género, Hobbit Humphrey, de 38 anos, e JakeEngland-Johns, de 35, não divulgam até hoje se o filho é rapaz ou rapariga. Atualmente, a criança já tem mais de um ano de idade — 17 meses, para sermos mais precisos.

O casal, natural de Inglaterra, escondeu o sexo da criança até dos avós, mas a avó materna acabou por descobrir se tinha um neto ou uma neta ao mudar a fralda da criança, aos 11 meses de idade.

Atualmente, Charlie tem 17 meses de idade

Facebook

Para além de vestirem o filho com roupas de menino e menina, os pais pedem a que todos os que abordem a criança para se dirigirem a esta com pronomes neutros, sem utilizar “ele” ou “ela”, e acham que esta é a única forma de evitarem os preconceitos e descriminações baseadas apenas no sexo.

Educar os filhos sem género. “Brincar com bonecas ou jogar futebol não condiciona a orientação sexual”

No entanto, e de acordo com uma notícia do “Correio da Manhã”, Hobbit e Jake não querem que Charlie, nome pelo qual tratam o filho, seja uma criança neutra. O que pretendem é que seja o filho, mais tarde, a escolher com que género se identifica.