Depois de mais de 14 mil matches num ano e uma média de 20 matches por dia, o Mr. Tinder encontrou o amor da sua vida. Mas não foi na aplicação.

Aconteceu tal e qual como acontecia antes da era de encontros digitais: um amigo comum apresentou-os e trocaram números. Tudo aconteceu quado, em abril, numa festa de encerramento na discoteca Opium, em Londres, o modelo Stefan-Pierre Tomlin, de 29 anos, — mais conhecido como Mr. Tinder desde 2017 — conheceu a cantora Natasha Boon, de 27 anos. Desde então nunca mais se largaram.

“Ela usava um vestido vermelho justo, lábios vermelhos e o cabelo loiro da moda. Tirou-me os pés do chão e isso raramente me acontece”, conta Tomlin ao jornal inglês “The Sun”. Lembra ainda que todos estes pormenores do visual de Natasha o faziam lembrar Marilyn Monroe.

O mais curioso é o facto desta Monroe dos tempos modernos nunca ter usado o Tinder, contrastando com o uso compulsivo que Tomlin fazia da aplicação. A ex-participante do programa X Factor diz ao jornal inglês: “Eu nunca usei aplicações de encontros, mas acho que são ótimas para pessoas que estão à procura de amor na era moderna, porque atualmente as pessoas parecem estar mais ocupadas do que nunca, por isso as aplicações oferecem praticidade ao combinar as agendas de pessoas ocupadas”.

O primeiro encontro aconteceu no parque Hampstead Heath, onde Tomlin decidiu aparecer com uma mala que dizia “Mr. Tinder”, deixando a cantora confusa. “No início, o apelido de Stef era estranho para mim porque eu não percebia por que é que ele precisava de usar uma aplicação de namoro online — ele é tão bonito”. Apesar de o titulo Mr. Tinder ter deixado Bonn reticente no inicio da relação, confessa que uma vez que tantas mulheres mostraram gostar dele, ela acaba até por se sentir lisonjeada por ter sido a escolhida.

Fiz-me passar por Salazar no Tinder e pouca gente percebeu

Depois de encontrar na vida real aquilo que procurou durante cerca de 5 anos na aplicação de encontros, o Mr. Tinder tornou-se piloto e tem ajudado amigos a encontrar o amor fora da aplicação. Conta ao “The Sun” que já conseguiu apresentar mais de dez casais cuja relação se solidificou e até levou ao casamento.

Por enquanto, o anel ainda não está no dedo de Natasha Boon, mas o vicio do Tinder foi substituído pela paixão real, que pode evoluir nesse sentido: “Gostaríamos de começar a fazer música e vlogs juntos, e se as coisas continuarem a ir bem, no futuro gostaríamos de casar, comprar uma casa e começar uma família juntos.” Ao jornal inglês a cantora mostra-se também apaixonada e confessa que ama a personalidade extrovertida, espirituosa e humorística. “É realmente cativante, o que me permite pensar num futuro com ele”.

Para trás, o Mr. Tinder deixa 15 encontros marcados ao longo dois anos, dos quais dois foram mais sérios. Contudo, acabaram por não dar em nada, porque “as pessoas só queriam falar com o Mr. Tinder, e isso não tornou as coisas fáceis para mim, no sentido de descobrir quem realmente gostava de mim ou quem só queria um pouco da fama.” O titulo levou ainda o modelo a programas de televisão como o Celebs Go Dating e, mais tarde, arriscou numa carreira musical com o single “Swipe Right“, lançado a 4 de abril.