Foi com “Stranger Things” que Millie Bobby Brown se fez notar. A atriz, que veste a pele de Eleven, apareceu com 12 anos na Netflix e já arrecadou nove prémios e 20 nomeações — sem esquecer que já foi considerada pela revista “Time” uma das 100 pessoas mais influentes do mundo, tendo sido também uma das mais jovens Embaixadoras de Boa Vontade, pela UNICEF.

Apesar da personagem enigmática e tímida que interpreta na ficção, na vida real, a atriz sabe bem como é que se posa para uma fotografia, é animada quando dá entrevistas, já pinta as unhas e veste roupas com que os comuns mortais sonham. Em outubro de 2017, Millie apareceu na estreia da segunda temporada de “Stranger Things” com um visual considerado “demasiado adulto”, tendo sido apontada como uma vítima da sexualização pela indústria do entretenimento.

Roupas à parte, Bobby Brown é ainda uma adolescente. Atualmente, tem 15 anos e prepara-se para invadir novamente os ecrãs com a estreia da terceira temperada de “Stranger Things”, já a 4 de julho, quinta-feira —  e esta promete ser a mais assustadora de sempre. Mas quem é, de facto, esta miúda? Como é que chegou até aqui? Quem são os seus pais? Vamos a pormenores.

Irmã de três, filha de Kelly e de Robert

Millie com os três irmãos. A imagem foi publicada na conta de Instagram da irmã mais velha

Millie nasceu em Espanha, em 2004, mas com quatro anos mudou-se para o Reino Unido, para Bournemouth, no sul de Inglaterra. A “Cosmopolitan” conta que é filha de Kelly Brown e de Robert Brown, um discreto casal britânico, que raramente vemos surgir em eventos públicos. É a terceira de quatro irmãos. Além dela, na família estão Charley e as irmãs Ava e Paige.

Família falida

Robert e a filha

Mas nem sempre as coisas correram bem para esta família. Robert e Kelly venderam tudo o que tinham e mudaram-se do Reino Unido para Hollywood para lançarem a filha, que desde cedo deu sinais de querer estar no mundo do entretenimento. “Os meus outros filhos viam desenhos animados, mas Millie via musicais — ‘Chicago’, ‘Moulin Rouge’, ‘Annie’ e ‘Bugsy Malone’”, disse o pai Robert, em entrevista ao “Daily Mail”.

Mas não correu bem. Cansados e falidos, tiveram de voltar para o Reino Unido, e acabaram a viver com um familiar. E é aí que se dá o plot-twist: Millie acaba por conseguir uma audição para a famosa série, dando assim um início oficial (já tinha feito pequenas participações) à sua vida na área da representação.

“Stranger Things”. Nova temporada promete ser a mais assustadora de sempre

As polémicas de Robert

Em 2016, o pai esteve envolvido em polémicas a propósito da carreira da filha: estava a pedir dinheiro aos agentes interessados em representar Millie, apesar de o esquema funcionar ao contrário — quem paga aos agentes são os agenciados.

De acordo com o que cinco grandes agências contaram ao “The Hollywood Reporter”, Robert, pouco familiarizado com estes negócios, estava a pedir cerca de 100 mil dólares pela representação da filha. Apesar de tudo, ao “Daily Mail”, revelou que tenta manter a vida da filha o mais relaxada possível. “É importante que a Millie não se sinta sob pressão. Ela é uma criança. Tem de fazer trabalhos de casa e cumprir tarefas. Tudo o resto é um bónus.”

A mãe não queria que rapasse o cabelo

Kelly concentrou-se mais nas implicações que a vida de atriz teriam na vida da filha. A coisa começou logo a abrir: Millie teve de rapar o cabelo para interpretar a personagem Eleven, ideia que não agradou a mãe. Numa entrevista à “Elle”, a adolescente contou:  “A minha mãe foi tipo, ‘Não! Não vai acontecer”, disse. “E eu estava tipo, ‘Mãe, precisas de relaxar. Vai voltar a crescer’. Ela estava contra. Eu e o meu pai estávamos mais: ‘Vá lá. Está tudo bem.’”

Próximos projetos

Em 2020, a atriz vai estrear-se no mundo do cinema: vai aparecer em “Godzilla vs. Kong” e ainda em “Enola Holmes”, ambos e fase de pré-produção. Também interpretará a personagem Suzy Swanson na série “The Thing About Jellyfsh”.