Eva LaRoche tem 56 anos, vive em Chicago e teve uma alimentou vegana durante alguns anos da sua vida. A mãe de dois filhos tem problemas de intestinos e acreditava que uma dieta sem proteína animalpoderia ser benéfica.

“Toda a minha vida tentei resolver este problema – que é tão mau que às vezes o simples ato de ir à casa de banho era como estar a dar à luz – mas nada funcionava”, conta ao “The Mirror”.

O marido, Bryan de 52 anos, acreditava que o problema pudesse ser da tiroide e, mais tarde, depois de dezenas de dietas feitas desde os seus 20 anos, Eva experimentou a dieta vegana. Contrariamente ao que se possa pensar, a saúde da mulher norte-americana não melhorou, pelo contrário.

“Não notei melhorias nenhumas e lembro-me de a minha irmã mais velha Susan me ter perguntado ‘Como é que podes estar doente tantas vezes se agora comes tão saudável?”, explicou à mesma publicação.

Eva LaRoche é casada e tem 2 filhos

Segundo LaRoche, nos anos em que era vegana estava constipada todos os meses, ficava doente com gripe todos os anos e uns anos depois de seguir esta dieta o cabelo começou a cair e a sua pele tornou-se muito seca.

A solução? Eva LaRoche mudou drasticamente a sua alimentação e passou de consumir zero produtos animais para fazer uma dieta que consiste em comer carne crua.

Começou lentamente por bifes crus com alguma gordura e evoluiu para miolos e rins de porco e fígado e coração de vaca vindos de agricultores com quintas próximas da sua localidade e talhos locais.

“Assim que descobri a dieta carnívora crua a minha obstipação ficou curada em apenas alguns dias” acrescentou Eva. “A dieta fez maravilhas pela minha saúde em termos gerais. Nunca mais tive constipações, tenho muito mais energia e o meu corpo nunca esteve tão em forma como agora”, explicou.

Blogger vegan volta a consumir produtos de origem animal

Apesar de comer praticamente todos os tipos de carne, a mulher de 56 anos pefere não comer carne de galinha. Sobre o cuidado em não comer porco cru, LaRoche explica: “Diz-se que comer porco cru pode ser perigoso mas eu nunca tive um problema e sou sempre muito cuidadosa na escolha dos animais que como e apenas os compro em quintas responsáveis”.

Eva LaRoche confidenciou ao “The Mirror” que, apesar de esta dieta ser nova e pouco comum, não vai deixar de a seguir – principalmente porque a ajudu a ultrapassar um problema que parecia sem solução.

“Passei a minha vida toda a lutar pela minha saúde e agora que encontrei algo que me faz bem não vou parar por ser estranho para as outras pessoas. A minha família acha que sou louca por comer da maneira que como, mas eles habituaram-se e sabem que o faço porque me sinto bem” conclui.