O YouTube é um verdadeiro armazém de vídeos — quem é que nunca deu por si a passar horas a ver vídeos de animais, de quedas aparatosas ou até de maquilhagem? O fenómenos mais recente são os vídeos de ASMR (a sigla para Resposta Sensorial Autónoma do Meridiano), que têm como objetivo provocar sensações de relaxamento a quem os vê e ouve. Isto é feito através de sussurros ou da ingestão de alimentos bem próximo do microfone. Há até quem adormeça ao som desses vídeos.

Makenna Kelly é uma youtuber de 13 anos com cerca de 1,5 milhões de subscritores no seu canal “Life with MaK“, dedicado a vídeos desse género. Mas nos últimos três meses, a jovem não tem tido uma vida fácil no YouTube — tanto que está a ameaça abandonar a plataforma. Isto porque 12 dos seus vídeos foram removidos.

Homem que matou e empalou três crianças está agora em liberdade condicional

De acordo com o “The Daily Dot“, o YouTube alterou a sua política para combater a pedofilia que existe na plataforma — desde fevereiro, tem fechado milhares de contas de menores de idade. Os 12 vídeos de Makenna foram removidos porque poderiam ser vistos como “conteúdo sexual” para potenciais agressores.

A 3 de junho saiu um relatório que dizia que o YouTube recomendava vídeos caseiros de crianças, facilitando a vida aos pedófilos. Também já tinha sido descoberto um círculo de pedófilos na plataforma. Os responsáveis viram-se portanto obrigados a alterar a política que tanto tem afetado a vida de Makenna Kelly.

Mas Makenna não concorda. A jovem youtuber afirma já ter sido vítima de assédio no YouTuber e que os responsáveis não fizeram nada. “O YouTube está a tentar alegar que ‘estão a tentar proteger-me’, mas quando eu apresentei este exemplo sobre como me senti sexualmente assediada por um adulto na plataforma (por escrito e numa ligação — sim, eu tenho uma prova) eles não fizeram absolutamente nada sobre isso”, escreveu no Twitter.

Numa entrevista ao “BuzzFeed News“, Makenna acredita que o YouTube está a discriminá-la pela sua idade. “Eu não deveria ser discriminada ou punida por algo que gosto de fazer. Eles deveriam tratar toda a gente de forma justa. Se têm uma regra, essa regra deve aplicar-se a todos e não discriminar certas pessoas”, afirmou.