Os coalas estão funcionalmente extintos. “Não há mais de 80 mil coalas na Austrália”

Desaparecimento da espécie pode estar ligada com as alterações climáticas e com a destruição do seu habitat.

Oito milhões de coalas que foram mortos e enviados para Londres entre 1890 e 1927

Jordan Whitt/Unsplash

Depois do mais recente estudo realizado pelo Global Assessment Report ter concluído que a biomassa de mamíferos selvagens caiu em 82%, que os ecossistemas naturais perderam metade da sua área e que um milhão de espécies está em risco de extinção, eis que chegam mais más notícias para o planeta.

De acordo com um comunicado da Fundação Australiana do Coala, publicado na sexta-feira, 10 de maio, o coala pode estar “funcionalmente extinto” — termo científico para descrever que a situação está “para lá do ponto de recuperação [da espécie].”

No comunicado, a diretora da fundação, Deborah Tabart, afirma ser da opinião de que “não há mais de 80 mil coalas na Austrália”. Isso corresponde a apenas “1% dos oito milhões de coalas que foram mortos e enviados para Londres entre 1890 e 1927.”

Os números são assustadores. Desde 2010, a fundação tem monitorizado as 128 áreas da Austrália onde habitam coalas, mas, agora, a espécie foi extinta em 41 delas.

Segundo a “LAD Bible“, a causa deste desaparecimento da espécie pode estar ligada às alterações climáticas, sendo que milhares de coalas morreram de desidratação no ano passado. A destruição do habitat natural do coala também pode estar na origem da extinção.

A diretora da fundação, Deborah Tabart, indicou no comunicado que enviou várias cartas para alertar o primeiro-ministro desta situação, mas ainda não obteve qualquer resposta.

“Tenho ligado para o novo primeiro-ministro após a sua eleição em maio, para promulgar o Koala Protection Act, que está escrito e pronto para arrancar desde 2016. A situação dos coalas cai agora sobre os seus ombros.”

“Eu sei que o povo australiano está preocupado com a segurança dos coalas e estão cansados ​​de os ver mortos nas nossas estradas. É hora de o governo respeitar o coala e proteger o seu habitat”, concluiu no comunicado.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]