Mãe desabafa no Facebook sobre a maternidade — e a publicação torna-se viral

Em cinco dias, a publicação sobre as expectativas da sociedade sobre o papel das mulheres com filhos teve 24 mil partilhas.

Sarah Buckley Friedberg tem três filhos com idades compreendidas entre os 1 e 6 anos

Facebook de Sarah Buckley Friedberg

A 19 de abril, Sarah Buckley Friedberg, natural do estado de Massachusetts, Estados Unidos, recorreu à sua página de Facebook para desabafar. Com uma dose de humor e ironia, falou sobre o papel das mães e aquilo que a sociedade lhes exige.

A mãe de três filhos — com 6, 3 e 1 ano de idade — e microbióloga numa companhia farmacêutica escreveu um texto de mais de mil palavras e salientou, entre muitas outras questões, o pouco tempo que as mulheres com filhos têm para equilibrar a maternidade com a profissão, ao mesmo tempo que não podem descurar a sua imagem, o resto da família e a relação com o companheiro.

“Volta ao trabalho ainda antes do teu corpo ter recuperado ou de teres tido tempo para construir uma ligação com o teu bebé. Foca-te no trabalho, e não no teu pequeno bebé indefeso que está a ser cuidado por qualquer outra pessoa que não tu”, escreveu Sarah Buckley Friedberg na publicação que, em apenas cinco dias, obteve 24 mil gostos, 5,6 mil comentários e 24 mil partilhas.

Focando-se no contexto profissional, a norte-americana também abordou os desafios de equilibrar maternidade e trabalho: “Garante que fazes um trabalho excelente — consegues fazer tudo o que um homem faz. É o teu papel mostrar à sociedade que o consegues fazer. Mostra ao mundo que as mulheres podem fazer tudo. Sobe ao topo da tua carreira. Mas não te esqueças de amamentar pelo menos durante um ano. Por isso, leva bombas de extração de leite para o trabalho, faz cerca de três pausas por dia para tirar leite materno, mas não deixes que isso quebre a tua concentração”.

Society to working moms: -Go back to work 6-8 weeks after having the baby. The baby that you spent 9-10 months growing…

Posted by Sarah Buckley Friedberg on Thursday, April 18, 2019

Depois de a publicação se ter tornado viral, Sarah Buckley Friedberg esteve no programa matinal “Good Morning America”, onde explicou a origem da publicação: “Foi um daqueles dias onde tudo parecia complicado. Tinha deitado os miúdos e estava cansada, frustrada e tive uma diarreia verbal. O que escrevi era o que tinha na cabeça no momento”.

Também no programa matinal, a mãe de três filhos explicou que o objetivo da publicação era expor as expectativas que a sociedade tem das mulheres com filhos, diferentes das dos homens, independentemente de trabalharem ou de ficarem em casa com as crianças.

“Se o meu marido leva os miúdos à mercearia, recebe uma ovação. Eu apareço com três crianças e não recebo o mesmo tratamento”, afirmou Sarah Buckley Friedberg, que considera que “a sociedade é assim” e que o papel dos homens quando tratam da casa ou dos filhos é visto como ajuda — embora afirme que, no seu caso, não tem qualquer queixa do marido, que trabalha como pediatra.

Entre os mais de cinco mil comentários, houve quem se identificasse com as palavras da norte-americana: “Estou cansada só de ler” e “Não basta ir de férias. Temos de planear as férias de toda a família”, foram algumas das reações à publicação. Mas também houve críticas.

“Há sempre aqueles típicos comentários como ‘então não tenhas filhos’, que não ajudam em nada. Tarde demais para isso”, disse Sarah Buckley Friedberg, que também referiu quem apontasse como solução ficar em casa com os miúdos.

“Acho que essas pessoas estão a esquecer-se de coisas como os preços das casas, das escolas — a grande maioria das famílias não consegue sobreviver apenas com um ordenado. Claro que isso é ótimo para quem consegue, mas eu, por exemplo, adoro trabalhar. Gosto de ter a minha carreira. O que crítico é tudo o resto que é suposto serem as mães a fazer.”

No entanto, Sarah Buckley Friedberg admite que o feedback geral à publicação foi bastante positivo e que a fez sentir um espírito de camaradagem.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]