Gypsy Rose Blanchard – a jovem cuja história inspirou a série “The Act” – foi condenada a 10 anos de prisão pelo assassinato da mãe, Dee Dee. Surge agora a notícia de que enquanto cumpria a pena, Gypsy conheceu um homem de quem está atualmente noiva.

Segundo a “Women’s Health“, o par conheceu-se através de um programa presidiário a que se dá o nome de “amigo de pena”. O homem, cujo nome não foi revelado, não está preso. “Ele começou a escrever à Gypsy e depois acabou por visitá-la”, disse à revista “In Touch” Fancy Macelli, amigo da família, citado pela “Women’s Health”. “Eles acabaram por desenvolver uma relacionamento…Mas estão a levar as coisas com calma. Não sabem ao certo o que vão fazer quando ela for libertada. É um longo caminho até que as coisas mudem”

“The Act”. A história macabra (mas verdadeira) da nova série da HBO

Ao contrário do relacionamento com Nick Godejohn, o primeiro namorado da jovem que está atualmente a cumprir pena de prisão perpétua pelo assassinato de Dee Dee, o pai e a madrasta de Gypsy têm uma boa relação com o noivo. A história de Gypsy Rose e Godejohn é uma das linhas que guia os acontecimentos na série da HBO – eles conheceram-se através da internet quando Gypsy tinha 21 anos e só ao fim de três anos se conseguem encontrar pessoalmente. Dee Dee nunca aprovou o relacionamento entre ambos.

Fancy Macelli afirma que os familiares de Gypsy estão “em comunicação” com o noivo “através de e-mails e telefonemas”.

Atualmente com 27 anos, Gypsy Rose foi vítima da síndrome de Munchausen, diagnosticado à sua mãe. Trata-se de um transtorno mental que faz com que um cuidador invente ou cause uma doença ou lesão à pessoa que está a seu cuidado com o objetivo de conseguir atenção, pena, ou qualquer tipo de benefícios por parte de outra pessoa. Durante toda a infância e adolescência, Gypsy acreditou que sofria de leucemia, asma, distrofia muscular, convulsões, danos cerebrais e deficiências na aprendizagem. No entanto, era uma jovem totalmente saudável.