A história da life coach de 82 anos que tem três encontros por semana

Hattie Batson tem conta no Tinder, não pensa em relações sérias e garante que nunca foi rejeitada por um homem mais novo.

"Nunca conheci um homem que não quisesse ter relações sexuais comigo", disse

É verdade que a ciência diz que o apetite sexual diminui com a idade, mas nem todas as mulheres são afetadas da mesma forma. Que o diga Hattie Batson, uma nova-iorquina de 82 anos que continua a ter uma vida sexual ativa e muitos encontros graças ao Tinder. Com dois filhos e três netos, Hattie garante que a idade é mesmo um número. No final, o que interessa é a atitude.

Em 1996, Hattie cunhou o termo retroage, que defende que é possível não envelhecer se mantivermos a mente jovem. Escreveu três livros sobre o assunto: “RetroAge: The Four Step Program To Reverse The Aging Process” (1997), “Complete Idiot’s Guide To Looking and Feeling Younger” e “Exquisite Aging” (2008). A par disso, apareceu em campanhas para a “Dolce & Gabbana”, “Vogue”, “W”, “Vanity Fair” e “Harper’s Bazaar”, sempre com um fato de banho bem justo, e em topless no “Howard Stern Show” — duas vezes.

Aos 82 anos, Hattie não pretende parar. Em entrevista ao jornal “Daily Mail“, a norte-americana conta que tem o Tinder instalado e vai em encontros pelo menos três vezes por semana. Neste momento não procura uma relação séria, mas não é por ter mais de oito décadas que não se pode divertir.

“Nunca conheci um homem que não quisesse ter relações sexuais comigo”, afirma. “Eu digo-lhes antecipadamente que quero conhecê-los para perceber a química. Vamos tomar um copo, e se a química estiver certa, vamos para o meu apartamento. Se não cada um segue o seu caminho.”

Hattie começou por ser dançarina

No início da sua carreira, Hattie Batson começou como dançarina. Chegou inclusivamente a abrir uma escola de dança com o ex-marido, de quem se divorciou quando estava na casa dos 50 anos, em 1984. Para ajudar os filhos a pagarem a universidade entrou na psicanálise, que acabou por conseguir aliar à dança.

Chamava-lhe “terapia de movimento”. “Estava a tocar nas pessoas, a encontrar bloqueios nos seus corpos e a pressioná-los para saírem.”

Depois do divórcio, Hattie Batson começou a sair com homens da sua idade. Mas as expectativas sexuais saíram defraudadas. “Os homens mais velhos não são adeptos de dar orgasmos às mulheres”. Irritada, decidiu colocar um anúncio no jornal a dizer que queria dormir com homens com 35 ou menos anos. Foi bombardeada com respostas.

“A dica que eu dou às pessoas é: pelo amor de Deus, masturbem-se. Têm de manter o aparelho a funcionar, quer vos apeteça ou não”.

Hattie mantém uma vida ativa, com visitas regulares à piscina e rotinas de fitness. Apesar de dizer que preferia não envelhecer, garante também que se ama tal e qual como é: “Preferia que o meu corpo não tivesse rugas mas também não vou fazer um grande alarido à volta disso. Vês pessoas gordas, pessoas magras, pessoas que só têm um braço… E toda a gente tem sexo.”

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]