Dentro de alguns anos vai poder beber sem ficar de ressaca

Cientistas britânicos acreditam que em breve podem estar no mercado bebidas alcoólicas que não provocam ressacas.

Beber sem ressacar vai ser uma realidade

Pexels

“Nunca mais bebo”. Esta talvez seja uma das promessas menos vezes cumpridas da história da humanidade. Mas nem assim não deixa de ser frase dita por quem acorda a sofrer com as consequências da noite anterior.

Com o objetivo de criar uma alternativa a este constante quebrar de promessas, o professor da Imperial College of London David Nutt e a sua equipa criaram a molécula alcosynth, um ingrediente mágico para quem quer beber sem ficar sem ressaca.

Aalcosynth tem a capacidade de imitar todos os efeitos positivos do álcool, no entanto remove quaisquer riscos de o consumidor poder vir a ter uma ressaca ou até de perder o controlo. Os especialistas acreditam ainda que ao misturar esta molécula numa qualquer bebida alcoólica, os consumidores vão apenas sentir-se “alegres”, nunca chegando a ficar completamente bêbados.

Nutt e a sua equipa estão neste momento a angariar cerca de 23 milhões de euros para concluírem os procedimentos necessários para colocar a molécula no mercado. No entanto, todos já experimentaram o produto e garantem que, ao fim de 45 minutos, os efeitos do álcool desaparecem sem causar qualquer sintoma de boca seca, dores de cabeça ou má disposição.

Esta preocupação com os efeitos negativos do álcool não é uma preocupação recente para Nutt. Em 1983, durante o seu doutoramento, criou um antídoto que curava os sintomas da ressaca. No entanto, não passou da fase de testes uma vez que se fosse tomado num estado normal, poderia provocar convulsões.

Agora, e com testes feitos ao longo dos anos que melhoraram a eficácia do produto, a equipa de investigação tem como objetivo disponibilizar a molécula alcarelle a todas as empresas de bebidas alcoólicas que desejem introduzir esta descoberta nos seus produtos.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]