Enchidos cortados às rodelas, queijo da Serra, queijo limiano e queijo amanteigado. Patês com maionese e uns croquetes. Já vamos assim e ainda não começou a ceia propriamente dita.

O bacalhau é rei, mas há casas onde também cabe o polvo na travessa. No dia seguinte, a carne é protagonista, seja no cabrito ou no peru. As sobremesas, essas, são uma festa de manteiga, ovos e mel.

No meio disto tudo, o que é que um vegano come?

Na verdade, muita coisa. Pelo menos tendo em conta os quatro testemunhos que a MAGG recolheu de quem, por questões éticas ou de saúde, decidiu adotar uma alimentação de base vegetal.

“Mas não abres uma exceção em dias de festa?”, era a pergunta que Alexandra Martins mais ouvia quando, há mais de três anos, deixou de comer carne, peixe e derivados. Não, não abre e quando a família percebeu que não era uma moda, uma dieta ou uma mania, passaram a respeitar a sua opção e hoje em dia não há quem não queira provar dos pratos que prepara para o seu jantar. “Procurei criar uma ceia o mais perto possível dos sabores que simbolizam para mim o Natal e isso foi uma tarefa bem mais simples do que imaginava. Afinal batatas, couves e azeite são parte integrante de todas as mesas de Natal tradicionais portuguesas”, explica. O bacalhau é substituído por tofu de cebolada com grão de bico, broa de milho, couve portuguesa, azeite e cebola e, nas sobremesas, não faltam o arroz doce e os formigos, em versão vegana.

Também Catarina Carrapiço, 14 anos depois da decisão de deixar de comer carne e peixe, conseguiu sossegar a mãe que, todos os anos, mantinha a esperança que a filha abrisse uma exceção na noite de Natal. “Agora, até é ela que me faz o tofu à lagareiro, até porque o faz muito melhor que eu”, garante. E ainda que o resto da mesa prefira o bacalhau, o tofu é sempre feito a mais para que todos provem.

Do pequeno-almoço ao jantar: 5 receitas veganas com toda a proteína de que precisa

As sobremesas levaram uma reviravolta quando, há dois anos, passou de vegetariana a vegana e cortou, por isso, os ovos, a manteiga e o mel. “Mas não é por não comer isso que gosto de me ficar apenas por uma opção. Todos os anos faço mais do que uma entrada e várias sobremesas. São para mim, mas todos comem e adoram”. Para o dia 24 já tem tudo pensado: húmus e folhados de alheira vegetariana para entrada, o famoso tofu à lagareiro para prato principal, brownie de batata doce, bolo de bolacha, mousse de oreo e arroz doce de chocolate para sobremesas.

Com receitas assim, não há mesmo como ficar a chorar pelo bacalhau não comido. Oksana Zagoruy, autora do blogue Dicas da Oksi, apresenta algumas das receitas que conquistam veganos e carnívoros. “O assado de legumes e grão, o Wellington de cogumelos ou o tofu com broa são daqueles que nunca falham”, garante.

O mesmo acontece com Sandra Gomes Silva que, além de vegana e autora do blogue O vegetariano, é nutricionista, pormenor que considera ter ajudado a uma maior aceitação por parte da família, que continua a comer de forma convencional.

No Natal, ainda que saiba que há sempre acompanhamentos em comum como a salada, o arroz ou as batatas, faz questão de preparar o seu prato para que não fique a perder na ceia de Natal. Além disso, sabe que há mais gente curiosa em provar. “Cozinhar a mais e incentivar os familiares a provarem a nossa refeição é sempre positivo, na minha experiência, pois ajuda a desmitificar um pouco a ideia de que a comida vegetariana não é saborosa”.

Veganos: o que comer em restaurantes que servem carne e peixe

Pedimos a estas quatro especialistas na arte de contornar o peru e o bacalhau receitas para montar uma ceia de Natal, das entradas às sobremesas.

Húmus de alho, receita de Catarina Carrapiço

Ingredientes:
– um frasco de grão cozido (cerca de 400g depois de escorrido)
– 8 colheres de sopa de azeite
– sumo de um limão (retirar os caroços)
– um dente de alho grande
– pimenta preta qb
– 4 cubos de gelo (ou água em alternativa)
– opcional: paprika (para a decoração)

Passar o grão por água até que a água deixe de formar espuma (se usar grão cozido em casa, saltar este passo). Numa liquidificadora ou processador de alimentos, juntar todos os ingredientes, reservando alguns dos grãos para a decoração. Caso use grão cozido em casa, pode ser necessário acrescentar sal. Se não usar gelo, colocar um pouco de água, acrescentando mais se necessário, apenas o suficiente para não ficar demasiado pastoso (50ml de cada vez). Triturar tudo até obter uma pasta homogénea e retificar os temperos. Servir numa taça, decorado com mais azeite, paprika, pimenta preta e os grãos previamente reservados.

Tofu marinho com broa, receita de Oksana Zagoruy

Ingredientes:
– 500gr de tofu firme
– 4 folhas de alga nori (de sushi), cortadas em retângulos pequenos
– 4 colheres de sopa de molho de soja
– 2 colheres de sopa de azeite
– Pitada de pimenta preta

Para a crosta:
– 200gr de broa de milho
– 3 colheres de sopa de azeite
– 2 dentes de alho
– Pitada de pimenta preta
– Sal grosso q.b.

Colocar num processador todos os ingredientes da crosta, e processar até obter uma consistência fina.
Secar bem o bloco de tofu com papel de cozinha limpo. Cortar o bloco em fatias finas, do mesmo tamanho (criando assim “filetes”). Temperar cada pedaço com pimenta preta, molho de soja e azeite.
Entre os “filetes”, colocar uma folha de alga nori. Fazer duas a três camadas alternadas e finalizar com broa por cima.
Levar a assar ao forno pré-aquecido a 180ºC, durante cerca de 40 minutos. Servir com batata assada.

Empadão de lentilhas, grelos e batata doce

Ingredientes:
– 2 copos de lentilhas cruas
– 1 kg de batata doce
– 1 lata de tomate pelado
– 200g de grelos (já sem os talos mais grossos)
– 50g de cenoura
– 1 tirinha de pimento vermelho
– 1 cebola pequena
– 3 dentes de alho
– 20g de broa de milho
– Azeite, sal e ervas aromáticas q.b.

Demolhar as lentilhas com o máximo de antecedência possível (mínimo 2h). Descartar a água da demolha e cozer as lentilhas numa água limpa. Não deixar as lentilhas cozer em demasia. Escorrer e reservar.
Numa panela à parte cozer as batatas doces partidas em pedaços pequenos (para cozerem mais rapidamente) em água e sal. Escorrer e esmagar as batatas com um garfo. Juntar um pouco de azeite em fio e incorporar nas batatas, até ficar com a consistência de puré.
Numa outra panela, colocar um fio de azeite, um dente de alho picado, a cebola partida em meias luas e a cenoura partida em pedaços. Acrescentar o tomate, sal e as ervas aromáticas. Mexer bem e deixar apurar um pouco. Acrescentar as lentilhas já cozidas e o pimento. Acrescentar um pouco de água e deixar estufar por 15 minutos.
Numa frigideira, colocar dois dentes de alho picados e um fio de azeite. Saltear os grelos e reservar.
Numa travessa, colocar o estufado de lentilhas. Por cima, colocar os grelos salteados e depois, por cima, o puré de batata doce e espalhar bem.
Num processador de alimentos, triturar a broa de milho com um pouco de salsa ou outra erva aromática fresca. Polvilhar sobre o puré de batata.

Tofu à Lagareiro, receita de Catarina Carrapiço

Ingredientes:
– 1 cebola
– 4 dentes de alho
– azeite, sal e pimenta a gosto
– 250g de tofu fumado
– 6 folhas de couve (galega ou lombarda)
– 12 batatinhas para assar

Cozer a couve e as batatas em água com sal apenas até ser possível espetar-lhes um garfo (para não ficarem demasiado cozidas). Deixar a escorrer. Numa frigideira, refogar a cebola cortada em meias luas no azeite até ficar transparente, juntar os alhos laminados e refogar mais 2 minutos.
Num tabuleiro ou travessa que possa ir ao forno, dispor a couve e as batatas, esmagar ligeiramente as batatas, pôr o tofu por cima e, por fim, a cebola e os alhos com o azeite. Temperar a gosto com sal e pimenta preta e levar ao forno a 180º por 20 minutos.

Bolo de chocolate com “Nutella”, receita de Alexandra Martins

Ingredientes:
– 3 chávenas de farinha de trigo
– 2/3 de chávena de cacau em pó
– 2 colheres de chá de bicarbonato de sódio
– 1 pitada de sal
– 2 colheres de sopa de vinagre de maçã
– 2 chávenas de bebida vegetal (qualquer uma de vossa preferência)
– 2/3 de chávena de óleo de côco derretido
– 1 chávena e meia de açúcar amarelo
– Uma embalagem de creme para barrar vegano de chocolate e avelã

Misturar a farinha, o cacau, o bicarbonato e a pitada de sal num recipiente e envolver bem com uma vara de arames. Num outro recipiente ao lado misturar com a vara de arames o vinagre com a bebida vegetal. Bater bem até se formar uma espuma na superfície da mistura. Depois adicionar a essa mistura o açúcar e o óleo de côco e envolver muito bem. Verter esta mistura dentro do recipiente que contém os ingredientes secos e envolver bem com uma espátula. Atenção: assim que tudo estiver bem envolvido parar de mexer para que o vosso bolo não fique pesado. Depois de tudo misturado é só verter numa forma previamente untada com óleo de coco e levar ao forno a 180º por aproximadamente 35 min. (façam o teste do palito, este deve sair seco mas com algumas migalinhas de bolo agarradas, isto vai querer dizer que o vosso bolo está cozido e húmido bem ao estilo do bolo brigadeiro).
Desenformar e deixar arrefecer antes de cortar para rechear. Para rechear o bolo é só barrá-lo com o creme de chocolate e avelã. Para a ganache do topo do bolo, adicionar uns 100ml de bebida vegetal a duas colheres de sopa bem cheias do creme de chocolate e avelã e misturar bem. Verter em cima do bolo e decorar a gosto.

Arroz doce de chocolate, receita de Catarina Carrapiço

Ingredientes:
– 130g de arroz (usei arroz próprio para arroz doce mas pode ser usado arroz carolino)
– 1l + 100 ml de bebida vegetal
– 100 ml de água
– 100g de açúcar de côco (ajustável, caso a bebida vegetal já seja açucarada)
– 2 colheres de sopa de cacau cru em pó
– 1 colher de sopa de manteiga vegetal
– 1 pau de canela
– 2 cascas de limão
– 1 pitada de sal grosso
– nozes picadas ou outro fruto seco e pepitas de cacau cru (opcional)

Levar 1l da bebida vegetal ao lume com as cascas de limão e com o pau de canela. O lume deve estar alto apenas o suficiente para a bebida fervilhar. Num tacho anti aderente, colocar o arroz, o sal e a água e levar ao lume apenas até a água ter sido absorvida. Juntar metade da bebida vegetal e a manteiga, mexer e levar a lume médio, mexendo constantemente (novamente, o lume deve ser forte o suficiente para o líquido fervilhar, mas não pode estar alto ao ponto de queimar o arroz).
Numa taça, misturar o cacau com os 100ml de bebida vegetal morna aos poucos, mexendo bem para não ficarem grumos.
Vinte minutos depois de o arroz estar ao lume, juntar o açúcar, a mistura de cacau e a restante bebida vegetal. Deixar cozer mais 20 minutos (sempre a mexer) ou até o arroz estar macio e cremoso. Não esquecer de retirar as cascas de limão e o pau de canela antes de servir! Adicionar nozes ou outro fruto seco picado e pepitas de cacau cru por cima.