Pais pagam aulas de “Fortnite” para os filhos serem melhores a jogar

Há plataformas onde se pode encontrar jogadores profissionais e comprar aulas entre os 6€ e os 21€ por hora. Tudo para perder menos vezes.

O "Fortnite" já atingiu um total de 125 milhões de jogadores globais desde o seu lançamento em 2017

Sempre foi habitual os pais recorrerem a explicações de matemática, lições de piano ou até aulas de karaté para os filhos. A diferença entre estes dias e a atualidade, é que agora já existem “gamers” profissionais que podem ajudar qualquer pessoa a tornar-se imbatível no seu videojogo preferido. E qual é o mais popular do momento? O “Fortnite“.

O jornal “The Wall Street Journal” publicou testemunhos de pais que contratam profissionais para os filhos melhorarem as suas capacidades no “Fortnite: Battle Royale” — os utilizadores lutam uns contra os outros online numa ilha pós-apocalíptica onde o último sobrevivente ganha.

Tal é a popularidade do jogo, que já atingiu um total de 125 milhões de jogadores globais desde o seu lançamento em 2017. E com o lançamento da versão mobile, rapidamente se tornou numa das aplicações mais descarregadas ultrapassando jogos como o “Candy Crush Saga” e “Clash of Clans“.

O jogo está em todo o lado, no telemóvel, no computador, na PlayStation e na Xbox. O acesso é fácil e a competição é renhida. Através de plataformas como o “Gamer Sensei” e o “Bidvine“, qualquer um pode procurar um tutor para um jogo à escolha. Ambos o sites já contrataram mais de 1.400 profissionais de “Fortnite” desde março. No “Gamer Sensei”, os preços variam entre os 6€ e os 21€ por hora.

Segundo o “The Wall Street Journal”, Nick Mennen, do Texas, pagou 17,2€ por hora para o filho de 12 anos ter aulas de “Fortnite”, afirmando que este já mostra uma evolução e ganha muitos mais jogos. O pai ambiciona ainda que o filho ganhe dinheiro através de torneios de videojogos — chamados eSports — onde já é possível obter bolsas escolares. Mas não são só os miúdos que querem ser melhores a jogar, este desejo também chega aos adultos. É o caso de Dale Federigni, um engenheiro de software, que pagou lições de “Fortnite” para poder jogar com os filhos.

Há quem faça de tudo para ter as famosas palavras “Victory Royale” no ecrã. No entanto, o tema gerou alguma controvérsia principalmente entre fãs do jogo. Leia alguns dos comentários que estes partilharam através do Twitter.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]