Pode ser uma ideia quase inconcebível: passar um concerto inteiro sem tirar uma fotografia digna de Instagram ou fazer um vídeo do refrão da sua música preferida. É que habituámo-nos a registar tudo com estes pequenos ecrãs de forma a salvaguardar a nossa memória, ou simplesmente para mostrar aos outros que estivemos ali.

Mas mesmo que tenha o instinto de o fazer, há um novo serviço que não o permite: chama-se Yondr e foi criado em 2014 nos Estados Unidos por Graham Dugoni. E como é que funciona? A empresa disponibiliza capas, nas quais, depois de colocado lá dentro o telemóvel é bloqueado por um dispositivo semelhante aos alarmes que estão nas peças de roupa.

As vantagens das capas da Yondr são várias: os artistas voltam a ter toda a atenção do público e são vistos pelos próprios olhos dos fãs e não pelos ecrãs e, por consequência, os ecrãs já não tapam a vista de quem está a assistir (neste momento os mais baixinhos podem celebrar esta conquista). Além disso, aqueles que vão assistir aos concertos conseguem desligar-se durante pelo menos duas horas do vício do telemóvel.

A solução para as pessoas baixas conseguirem ver concertos

O serviço desta empresa já foi solicitado em concertos de vários artistas, como é o caso de Madonna, Childish Gambino, Haim e Justin Timberlake, e o último local onde esteve foi no White Light Festival do Lincoln Center, entre 19 de outubro e 24 de novembro em Nova Iorque, não fosse este um festival dedicado à música que influencia a espiritualidade.

“Acho que somos os primeiros no mundo da música clássica a usar esta tecnologia”, disse Leah Johnson, chefe de comunicação e marketing do Lincoln Center à revista espanhola “Vogue“.

Harry Christophers, maestro que participou no festival do Lincoln Center disse a Leah Johnson que ao longo dos 40 anos de carreira, num em cada quatro espetáculos há pelo menos um telefone que toca a meio do concerto (algo principalmente perturbador quando acontece numa parte silenciosa).

“É o mesmo que se alguém atirasse lixo pela janela. Uma parte de mim fica desesperada. Porque é que as pessoas não podem habituar-se a desligar os telefones? Não é tão difícil”, comenta a chefe de comunicação e marketing do Lincoln Center.

A Yondr vem assim solucionar a perturbação causada pelos telemóveis nos concertos de música clássica e também nos festivais que acontecem todos os anos pelo mundo. Se o telemóvel ficar dentro da capa “trancado”, acabam-se as tentações e só está de volta quando precisar de chamar o transporte para casa. 

E para desbloquear é simples: basta voltar ao ponto de serviço da Yondr e pedir que desbloqueiem a capa para ter o telemóvel de volta.