A noite foi de jogos no “Casados à Primeira Vista“. Antes de passarem para a mesa do habitual jantar semanal antes da cerimónia de compromisso, os concorrentes mostraram o resultado de um jogo proposto pela especialista em comunicação, Cris Carvalho.

Numa cartolina, os concorrentes tinha de criar em conjunto uma narrativa sobre outro casal e todas as histórias pareceram bater certo com o estado de cada dupla.

A picardia entre Liliana e Hugo marcou o início do jantar, momento em que Pedro assumiu uma posição apaziguadora entre os concorrentes, admitindo à produção que ambos estão em choque constante e a falar de coisas sentido, apesar de saber que é uma picardia inocente.

A noite de jogos prossegue e teve direito a um jogo chamado “eu nunca”. A cada frase começada por esta expressão, os concorrentes tinham de colar um coração no peito caso já tivessem feito aquilo que o enunciado dizia.

A primeira ronda começou com a frase “eu nunca beijei um homem na boca”. As mulheres foram as primeiras a colocar um coração, mas não foram as únicas. Pedro e Hugo também colaram já que esta semana deram um beijo inocente durante uma festa, mas que foi, ainda assim, suficiente para usarem o seu primeiro coração do jogo.

“Eu nunca fui rejeitado numa relação”, resultou não num, mas em dois corações no peito de Hugo, o que dá alguns indícios do que se está a passar na relação com Inês.

Quem não colocou um coração quando foi lido “eu nunca escondi uma coisa importante a este grupo” foi Liliana, apesar dos olhares de admiração de vários concorrentes que colaram o coração, levando Liliana a dizer: “Há coisas que não são para partilhar”. Os olhares de desconfiança devem-se ao facto de os concorrentes suspeitarem de vários segredos do passado que Liliana não partilhou entre todos.

O jogo não deixou passar o tema das traições, altura em que depois de dizerem “eu nunca trai o meu namorado”, Hugo e Pedro identificaram-se e acabaram mesmo por colocar um coração.

Já a meio do jogo, Liliana considerou que Pedro mentiu numa das questões, isto porque Pedro não colocou um coração no peito na expressão “eu nunca maltratei alguém de quem gosto”.

“O Pedro maltratou-me na relação. Porque não soube dar-me tempo e espaço”, disse Liliana. Esta foi a questão que encerrou a primeira ronda onde dois casais ficaram empatados — Luís e Marta com seis corações cada e Pedro e Liliana, cada um com oito corações no peito: “Até nisso somos compatíveis”, disse Pedro, ao que Liliana responde de forma fria “só nisso”.

Seguiram-se mais duas rondas, com dois “eu nunca” mais polémicos. O primeiro que dizia “eu nunca confundi amizade com amor”, suscitou alguns olhares comprometedores de Tatiana, que chegou a tirar um coração, tal como o marido Bruno.

Liliana e Pedro explicam porque é que decidiram voltar ao programa

Antes de chegar ao fim da segunda ronda, a questão “eu nunca menti aos especialistas” surpreendeu Inês pelo facto de vários concorrentes não terem reagido, o que significa que se identificaram com o enunciado. Contudo, “pelo que conheço toda a gente mentiu, lamento”, diz Inês, que admite à produção já ter mentido aos especialistas.

No final de mais uma série de “eu nunca”, Liliana continuava à frente, acumulando oito corações, ao passo que Pedro ficou desta vez com sete.

A concorrente continuou a colar corações no peito na segunda ronda e a surpreender a mesa depois de colocar mais um quando disseram “eu nunca tive uma relação homossexual” — não adiantando pormenores, apesar de curiosidade dos restantes concorrentes.

O tema sobre as mentiras voltou a surgir numa das últimas questões da ronda: “Eu nunca menti à minha mulher ou ao meu marido”. A expressão foi a razão de mais uma surpresa, neste caso para Bruno depois de Tatiana ter visto Tatiana a tirar um coração. A mentira acabou por ser esclarecida na manhã seguinte ao jantar.

“Quando fomos ao norte tu querias sair comigo e eu não queria”, disse Tatiana a Bruno, que compreendeu e admitiu não ter ficado chateado por ser uma mentira sem importância.