Não sei se já viu as notícias, mas o cenário não está animador. As temperaturas máximas vão descer 8 graus Celsius a partir de quinta-feira, 14 de novembro, devido a uma massa de ar muito frio proveniente da Irlanda e, portanto, qual esquimó, o melhor mesmo é preparar o corpo para o que aí vem.

Não falamos em armazenar comida em casa para não ter que enfrentar o mau tempo e também não o queremos ver a vestir já o pijama polar. O frio não tem que ser sinónimo de hibernação. Mas já que é para sair, que seja para sítios que nos aqueçam o corpo e, já agora, também o estômago.

Fizemos uma seleção de restaurantes cafés e bares que, ou por terem lareira ou café acabado de sair, são perfeitos para enfrentar este outono.

Porto

Um chá com vista para Serralves

“Para a Fundação de Serralves a gastronomia é também uma arte”. É com esta frase que a fundação se apresenta e que faz crescer a vontade de ir a estes jardins, não só pelas exposições, mas também para sentar a almoçar ou até mesmo só para beber um chá.

Em dias de mais calor, pode arriscar na esplanada de caras para o jardim principal. Nos outros, como os que aí vêm, fique no interior sem perder a vista: as paredes são envidraçadas por alguma razão.

A ementa da Casa de Chá propõe chás e infusões (incluindo um chá único no mundo, o Porto Wine Touch, chá preto com passas de vinho do Porto), sumos naturais, scones caseiros, bolos tradicionais e refeições ligeiras.

O Chá do Dia custa 1,50€, mas para algo mais cerimonioso, experimente o menu Chá das Cinco (servido de terça a sexta-feira, a partir de 4€) que pode incluir, para além do chá, também scones caseiros com compotas artesanais, manteiga e mel e bolos caseiros à fatia.

Morada: Rua Dom João de Castro, 210, Porto
Telefone: 22 617 0355
Horário de inverno: 12h-18h. Sábado e domingo 11h-19h

Uma sangria à lareira no Monte

Pode ir para uns petiscos ou para um copo. Seja qual for a ideia, conte com a lareira rústica de pedra acesa no inverno (e uma esplanada enorme no verão, mas agora isso não é o mais importante).

Este bar fica no Miradouro do Monte Crasto, em Gondomar, a poucos metros da Capela de Santo Isidoro.

Entre as bebidas mais pedidas n’ O Monte está o gin, mas há quem prefira a sangria, que aqui pode ser branca, tinta ou de espumante.

Morada: Rua do Monte Crasto, Gondomar
Telefone: 934 809 734
Horário: 12h-1h

Petiscos portugueses n’ A Lareira

Há restaurante com lareira e depois há A Lareira. Este restaurante nasceu em 1984 e foi, ao longo dos anos, paragem para peregrinos do Caminho de Santiago, palco para noites de fado e, claro, sala para grandes jantaradas.

A ementa é toda ela um clássico. Há caldo verde (1,50€), pernil com queijo da Serra (3,90€), chanfana (4,90€) e pataniscas de bacalhau (2,90€). Já nos doces, há tripas doces com chocolate ou ovos moles (1,90€) ou bolacha com chocolate ou ovos moles (1,90€).

Em 2017, abriram um novo espaço e agora pode encontrar dois restaurantes que aliam a boa comida ao conforto de uma refeição à lareira.

A Lareira, Baixa
Morada: Rua das Oliveiras, 8, Porto
Telefone: 222 080 917
Horario: 12h-23h. Sexta-feira e sábado até à 1h (fecha ao domingo)

A Lareira, Serralves
Morada: Rua Jorge Reinel 7, 4150-436 Porto
Telefone: 226 155 054
Horário: 12h-23h. Sexta-feira e sábado até à 1h (fecha ao domingo)

Lisboa

Um copo no Procópio

É daqueles sítios nos quais parece que estamos a fazer uma coisa ilegal ao entrar. Não sei se é das luzes baixas, dos veludos ou do ambiente de conspiração, mas tudo ali soa a filme de outros tempos. Mas relaxe. Há quem venha ao Procópio só para conversar e beber um copo, de preferência com os pés virados para a lareira que aquece a sala.

As sandes aqui têm recheios peculiares: caviar e limão ou patê com pickles são algumas das opções (todas a 4,50€). Já nas bebidas, pode escolher desde whisky, a gin, vinhos e licores.

Morada: Alto de S. Francisco, 21A (à Rua João Penha),Lisboa
Telefone: 21 3852851
Horário: 18h-3h. Sábado 21h-3h (fecha ao domingo)

Café quentinho no Simpli

Café e bolos caseiros. Há lá melhor combinação para uma tarde de frio? No Simpli, todos os cafés são especiais e é por isso que quando chegam a mesa vêm acompanhados por um cartão no qual se pode ler o país e a região de origem, a altitude a que foi plantado, o nome do produtor, a variedade e o processo de tratamento a que foi sujeito.

O café é importado de países como a Colômbia, Nicarágua, Brasil, Jamaica, Honduras ou Costa Rica e pode sempre ser acompanhado por um croissant, um brioche, uma arrufada ou um pão de leite.

Morada: Rua Braamcamp , 68/72, Lisboa
Telefone: 213 850 608
Horário: 8h-20h (fecha ao domingo)

Croquetes à lareira no Gambrinus

Este restaurante é um museu. Há vitrais, peças de porcelana da Companhia das Índias, madeiras exóticas, mobiliário de época e — o nosso ex-libris — uma lareira em granito português.

Ao Gambrinus pode ir simplesmente para comer um dos melhores croquetes da cidade ou para se sentar à mesa enquanto lhe chega uma sopa rica de peixe, o empadão de perdiz ou os famosos crepes Suzette, feitos ao vivo para cada cliente.

Melhor de tudo? Não lhe vai falhar em nenhum dia deste inverno rigoroso. Está aberto todos os dias do ano, à exceção do Dia do Trabalhador.

Morada: Rua das Portas de Santo Antão, 23, Lisboa
Telefone:  21 342 1466
Horário: 12h-01h30

Panquecas e fresh toast no Seagull Method

Pode ser só uma falsa sensação, mas um prato de panquecas acabadas de sair aquece o mais frio dos invernos. Na verdade, tudo o que vemos sair da cozinha do Seagull Method é capaz de nos fazer esquecer que lá fora o termómetro anda a brincar com a nossa imunidade.

Ele é almôndegas com polenta (8,50€), ele é fish and chips (8,90€), ele é sandes de lulas fritas (9,90€). E para pequeno almoço/lanche/sobremesa? Escolha entre panquecas de queijo cottage com caramelo caseiro (5,90€), freash toast com frutas (6,80€) ou granola com puré de fruta e iogurte (4,90€).

Morada: Rua da Palmeira, 23, Lisboa
Telefone: 21 3421232
Horário: 9h-23h