Quando a Victoria’s Secret anunciou uma colaboração com a marca de lingerie britânica Bluebella, conhecida por trabalhar com modelos de todos os tamanhos, parecia a estratégia perfeita para acabar com as críticas. Há muitos anos que a marca é acusada de promover corpos extremamente magros, excluindo por completo mulheres com curvas ou até com excesso de peso.

Para tal, a Victoria’s Secret e a Bluebella contrataram Ali Tate-Cutler, uma modelo que veste o tamanho 46. Foi a primeira vez que a marca se associou a um corpo plus size. Problema? A nova campanha não está a reunir consenso nas redes sociais. Para muitos utilizadores, o 46 nem sequer devia ser considerado plus size.

Ali Tate-Cutler é a primeira modelo plus size a colaborar com a Victoria’s Secret

Para os críticos, o tamanho 14, que corresponde ao tamanho 46 europeu, é a norma nos Estados Unidos e Reino Unido — a maioria das mulheres, dizem, usa o 46 ou 48.

“A Victoria’s Secret devia ter vergonha por dizer que um tamanho 14 [46] é plus size”, escreve uma utilizadora.”O tamanho mais comum da mulher britânica é 16 ou 18″.

Os comentários dividem-se entre quem acusa a marca de querer apenas limpar a sua imagem e de Ali não dever ser considerada plus size: “Ela nem é plus size”, “um pouco tarde VS (Victoria’s Secret)” e “14 não é plus size” são algumas das críticas deixadas na conta de Twitter da marca.