Foi este domingo à noite, 22 de setembro, que Carolina Deslandes subiu ao palco do Coliseu dos Recreios para receber o prémio de Melhor Música, com a canção “A Vida Toda”. A cantora fez o habitual discurso, mas esta segunda-feira revelou que muito ficou muito por dizer.

“Ontem quando subi ao palco não disse nada do que queria dizer. Acho que há momentos da vida em que nos faltam as palavras, e é essa a beleza disto tudo. Ainda assim, ficou um vazio”, começou por dizer no Instagram.

A cantora começa por explicar que há um tema sobre o qual há muito quer falar, vontade essa que ganhou nova força quando, na semana passada, muitos comentavam a forma “estranha” de falar da ativista Greta Thumberg, que sofre de Síndrome de Asperger. É que tal como a jovem sueca, também o filho da cantora, sofre de uma perturbação do espectro do autismo.

“Foi um caminho longo, de braço e de coração dado, que nos levou a pedir ajuda e a entrar dentro deste universo encantado em que ele vive” explicou a cantora referindo-se ao seu filho mais velho.

Rapaz de 8 anos dá a mão a colega autista no primeiro dia de escola. Foto torna-se viral

“O autismo continua a ser visto como um problema. Algo que torna as pessoas diferentes e esquisitas. Pois eu olho para o Santiago e acho que os esquisitos somos nós”, continuou. “O nosso filho é especial. Não no sentido prejurativo, mas no sentido mais completo e literal que existe: é a criança mais especial que conheço. É um mundo com mundos por dentro. Sejam bondosos com os caminhos dos outros. Eles passam por ruas que nós não imaginamos” concluiu.