Estilo

A Pipoca Mais Doce e Fabíola Carlettis analisam os looks de Cristina Ferreira

Foram 5 vestidos completamente diferentes uns dos outros. Uns ao estilo de Victoria's Secret, outros que demoraram 870 horas a ser feitos. Veja os comentários.

i

Cristina Ferreira usou cinco vestidos, sempre de criadores diferentes

Cristina Ferreira usou cinco vestidos, sempre de criadores diferentes

Quase nove meses depois de se ter estreado na SIC, Cristina Ferreira assume pela primeira vez o papel de apresentadora da maior gala de entrega de prémios nacional. Os Globos de Ouro, que durante tantos anos foram apresentados por Bárbara Guimarães, têm agora um novo rosto, para onde todos os olhos estão virados.

Estamos habituados a vê-la com looks excêntricos e desta gala não se esperava menos do que isso. Numa cerimónia em que a passadeira vermelha e os vestidos das convidadas são sempre o mais esperado, nunca foi tão grande a expectativa sobre o que a apresentadora ia vestir. E claro que não se ficou por um vestido só. A aposta dos presentes na gala era de sete vestidos, mas acabaram por ser cinco.

Quiz. Quão bem conhece a gala dos Globos de Ouro?

O primeiro foi uma criação de Micaela Oliveira, inspirado no mar e feito de desperdícios de rolhas de cortiça. O segundo um vestido vermelho feito por uma costureira que concorreu a um desafio lançado pela apresentadora, Elisa Carvalho. O terceiro, de João Rolo, demorou 870 horas a ser feito. O quarto contou com uma referência religiosa e o último era uma grande concentração de penas rosa choque.

E porque quando há um evento deste género e uma passadeira vermelha, os comentários de Ana Garcia Martins, do blogue A Pipoca Mais Doce, são sempre tão aguardardos quanto os vestidos, pedimos-lhe que, em conjunto com a consultora de moda e beleza da MAGG, Fabíola Carlettis, comentasse o que por lá passou. Mais concretamente o que Cristina Ferreira vestiu.

A Pipoca Mais Doce: “Na primeira aparição, Cristina surpreendeu num look Victoria’s Secret ft. festival de Ovar. Palmas para o lado ecológico — é feito com restos de cortiça — mas o pezinho a escorregar no azeite não engana ninguém: é um Micaela Oliveira em todo o seu esplendor.”

Fabíola Carlettis: “Dizem que o que conta é a intenção — e a deste vestido é boa — mas, neste caso, nem isso desculpa este vestido de Micaela Oliveira. Ou bastava ter dito que o vestido era da Micaela Oliveira e pronto.”

A Pipoca Mais Doce: “Se, por acaso, vos aterrar uma mama aí em casa, é bastante provável que tenha sido projetada do segundo vestido da nossa Tininha, um vermelho Ferrari cujo tecido, bem aproveitadinho, ainda dá para umas 250 bandeiras para as arruadas do PS.”

Fabíola Carlettis: “Visto de costas é digno de Óscares. De frente, fica-se com a sensação de que Cristina Ferreira vai ficar roxa, com dificuldade em respirar. Piorou depois de ter visto o mesmo decote na Luciana Abreu.”

A Pipoca Mais Doce: “João Rolo é um homem que não olha a despesas, por isso meteu a carne toda no assador para o terceiro vestido de Cristina Ferreira: ele foi brilhos, ele foi penas, ele foi pedrarias, ele foi tecido que dava para vestir todos os habitantes de uma ilha do Pacífico. Temos ali uns 45 quilos de vestido.”

Fabíola Carlettis: “Mais um vestido que podia estar nos Óscares, mas não é por isso que é bom. Dizer que é do João Rôlo, também já diz tudo. Tinha tudo para ser um bom vestido, mas a informação a mais, estragou tudo.”

A Pipoca Mais Doce: “Se há alguém que pode receber um Globo de Ouro com uma taça de fondue na cabeça, esse alguém é Cristina Ferreira. Mesmo que o vestido seja uma cópia chapada daquele Tom Ford inesquecível que Gwyneth Paltrow usou nos Óscares de 2012.”

Fabíola Carlettis: “Uma lufada de ar fresco assim que entrou. Uma prova de que menos é mais. Vestido e capa perfeitos, acessório da cabeça, apesar de ser da Cata Vassalo, que adoro, era desnecessário. Bem como a Nossa Senhora nas costas.”

A Pipoca Mais Doce: “A Cristina investiu imenso ao nível da pena, o que é ótimo para um efeito txan-nan, mas péssimo para a rinite alérgica. De todos, este foi o meu preferido. Que é como quem diz, o menos mau.”

Fabíola Carlettis: “Vestido digno para estar em cima de um carro alegórico. Ainda assim, conseguiu ser o que mais a favoreceu, depois do vestido branco.”

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.