Na sociedade atual, em que as crianças e jovens têm acesso a telemóveis, redes sociais e tantas outras plataformas cada vez mais cedo, os perigos da era digital são cada vez maiores — e mais frequentes.

São muitos os pais que se preocupam com o que as crianças fazem nos seus telefones, embora seja complicado monitorizar cada passo dos mais jovens, a não ser que se tomem medidas radicais como proibir a 100% o acesso à tecnologia. No entanto, esta atitude pode ter mais contrariedades do que benefícios, dado que a criança pode tentar ter acesso às mesmas redes e plataformas fora de casa.

No entanto, surgiu agora no mercado uma nova aplicação que pode ajudar a proteger as crianças e jovens: a SelfieStop apaga imediatamente qualquer fotografia com nudez que os utilizadores tentem tirar, impedindo-os de a enviarem para outras pessoas.

Telemóvel: perigo para as crianças ou uma ferramenta útil para os pais?

De acordo com Adam Hart, um dos criadores, explicou ao “Metro“, a app contém um algoritmo que identifica e apaga imagens com nudez em milésimos de segundos. Esta ferramenta também vigia os conteúdos de email, SMS e aplicações de redes sociais instaladas nos telefones, tais como Snapchat, WhatsApp, Instagram, Facebook e outras do género.

Caso a SelfieStop detete atividade suspeita, envia imediatamente um alerta para os telefones dos pais, e estes podem acionar um mecanismo para localizar o smartphone onde a app está instalada. Para além disso, mesmo que os mais novos tentem contornar a tecnologia e apagar a aplicação, Adam Hart garante que tal não será possível.

A aplicação só funciona com fotografias que os utilizadores tentem tirar no momento, em que as apaga automaticamente — as fotos não chegam sequer a ser processadas. Portanto, a app não “faz nada em relação a imagens que já tenham sido enviadas previamente”.

Desenvolvida no Reino Unido, a SelfieStop está disponível na App Store e Play Store, com um custo de 18€ anuais, para funcionar em dois telefones. Para já ainda não está disponível em Portugal.