Sabem aquela ideia de que devem ter tudo planeado com antecedência, o roteiro lido e relido, e carro marcado? Esqueçam. Sardenha foi uma grande surpresa e nem sempre positiva. Se estão a pensar fazer desta ilha italiana o destino de verão, leiam as minhas dicas.

A primeira, e talvez a mais importante, é que não devem alugar carro online. Fui para o aeroporto de Olbia com o carro alugado e pago. Quando cheguei, por volta das 14 horas, e me desloquei à loja para ir levantá-lo, tive de esperar três horas numa fila gigante. Foi horrível, primeiro pelas horas perdidas e depois porque estava um tempo incrível que não pude aproveitar. Chegando a minha vez para agarrar na chave e ir finalmente colocar as malas ao hotel para poder explorar a ilha, ainda apresentaram imensas imposições.

Portanto, não façam como eu e aluguem o carro diretamente no aeroporto, onde não houver filas, ou no centro da ilha. E, ainda assim, aviso já que, de um modo geral, o sistema de aluguer de carros na Sardenha é muito lento e antiquado.

Apesar de toda a espera, o carro é um elemento obrigatório. As distâncias entre cada local de interesse são muito grandes e sem ele não teria conseguido ver nem aproveitar metade.

Outro meio de transporte do qual não podem prescindir é o barco. Acreditem é essencial para tornarem as férias inesquecíveis e conseguirem ir até às mais praias mais bonitas da Sardenha de acesso limitado. Podem fazê-lo de três formas. A mais habitual é a excursão em grupo, que segue um roteiro turístico pré-programado. É a opção mais barata mas menos autónoma.

Outra opção é alugarem um barco para guiarem sozinhos. Sim, é possível, uma vez que não é preciso uma licença… os barcos são pequenos e fáceis de conduzir. Era o que tinha pensado fazer mas, devido às condições marítimas, tive de alugar o barco mas foi um skipper (capitão) a conduzir até aos locais que queria ir. Não é tão divertido, mas é melhor do que ficar em terra. Ah, e reservem sempre com um ou dois dias de antecedência para garantirem o barco. Estava sempre esgotado quando decidia ir no próprio dia ou até de véspera.

Este destino é imprevisível e tanto conseguem um recanto na areia, como podem ter de ficar em cima de rochas, por isso aconselho-vos a levar daquelas toalhas tipo esteira que são mais resistentes e protegem-vos da dureza dos rochedos e das dores de costas.

Alguns locais são de difícil acesso e é impossível ir de carro, só conseguimos chegar depois de alguns quilómetros a pé e de algumas escorregadelas em pedras (sim, pode ser um pouco perigoso). Por isso, é importante que levem sempre um par de ténis convosco, de forma a facilitar o caminho.

E já agora, levem sempre marmita e água. Pode ser complicado chegar a alguns locais, mas vão querer ficar lá a aproveitar o máximo e, uma vez que a maioria são sítios desertos, não têm nada onde comprar comida, nem bebida. Vão prevenidos.

Porto Cervo é paragem obrigatória. Adorei esta marina, tem uma vista fantástica. Mas caro, muito caro! A qualidade da comida não justifica o preço. Vi diversas opções e não consegui encontrar nada barato. Paguei 25€ por um sumo de frutas, ok? Acho que isto diz tudo.

Sardenha é um destino muito bonito, no entanto, se estão à espera de um local para descansar “de papo para o ar”, fiquem a saber que não é o indicado. Sardenha é para explorar, descobrir, ir de mente aberta para o desafio que pode ser encontrar um recanto de praia ou um local barato para almoçar. Mas que a muito bonito, é! Sem dúvida alguma.

Espero ter-vos dado dicas úteis de como aproveitarem ao máximo uma das mais maravilhosas ilhas de Itália.

Ler mais