Youtuber de 7 anos sob investigação por não identificar publicidade

Tem 21 milhões de seguidores e passa os dias a brincar e a abrir prendas. O canal é gerido pelos pais e está a ser alvo de um processo.

Ryan Kaji tem 7 anos e um império de mais de 22 milhões

youtube

Não há nada que uma criança goste mais do que brincar. Se juntar a isto um unboxing diário, tem a receita perfeita para um miúdo feliz — mimado, talvez, mas feliz. É assim a vida de Ryan Kaji, 7 anos, que tem um canal no YouTube chamado Ryan Toys Review. Como o próprio nome indica, Ryan aparece em vídeos a experimentar brinquedos novos e a dizer o que acha sobre eles.

Shion Guan e Kieu-Loan, pais de Ryan, são os responsáveis por este canal que, segundo o jornal britânico “Daily Mail”, já vale mais de 22 milhões. Com mais de 21 milhões de subscritores, o canal tem parceiros como a Colgate, o Nickelodeon ou o Walmart.

O youtuber tem mais de 21 milhões de seguidores

Youtube

Tudo corria bem até a organização sem fins lucrativos Truth In Advertising apresentar uma queixa à FTC, empresa de controlo de publicidade, por falta de clareza nos patrocínios do canal: “90% dos vídeos da família incluem um produto patrocinado mas eles nem sempre o apresentam como tal”, explicam ao jornal britânico. Desta forma, continuam, a realidade é “impossível de distinguir”. 

Perante esta acusação, a família responde que segue todo o regulamento de publicidade e que “o bem-estar dos nossos seguidores é sempre a nossa prioridade”. 

A maioria do público de Ryan tem entre 3 e 7 anos. Vivem sobretudo nos Estados Unidos, mas também no Reino Unido e Filipinas. A mãe, professora de Química do ensino secundário, deixou o emprego para se dedicar ao canal do filho em full-time.

Além do Ryan Toys Review, a criança tem uma linha de brinquedos (assinada pelos pais), que diz ser uma compilação dos seus favoritos. Um dos vídeos mais populares tem mais de mil milhões de visualizações e mostra a criança de 7 anos à procura de ovos surpresa num insuflável.

A família tem também um canal secundário, o Ryan’s Family Review, onde partilha experiências diferentes e visitas guiadas à casa, no Texas. A propriedade está avaliada em 900 mil euros.

A Google, proprietária do Youtube, ainda não comentou a queixa, que vai ser agora avaliada pela FTC.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]