Uma relação a três talvez seja uma experiência que apimenta muitas relações — ou então, como vimos na série americana “Friends“, que põe fim a outras. Nunca nos vamos esquecer de Ross que, desesperado com a falta de sexo na relação, sugere mil coisas à mulher para melhorar a situação. Depois de recusar todas as opções, Carol delira com a sugestão de um threesome. Desta experiência resulta o fim do casamento e a revelação de que a parceira é lésbica.

Num cenário paralelo, há quem resolva problemas de traição com relações sexuais a três. Nós explicamos: de acordo com o livro “Understanding Threesomes: Gender, Sex, and Consensual Non-Monogamy” (perceber relações a três: Género, Sexo, e uma relação consensual não monogâmica, em tradução livre) do sociólogo britânico Ryan Scoats, alguns casais heterossexuais recorrem a uma experiência a três para resolver problemas na relação — traições ou discussões, na sua maioria.

A obra é baseada num estudo feito por Scoats, que abordou as experiências e atitudes de 50 entrevistados que introduziram uma terceira pessoa na relação por uma noite.

Estes 6 hábitos são considerados tóxicos numa relação mas afinal podem ser saudáveis

De acordo com a revista feminina “Cosmopolitan“, na obra Scoats menciona o exemplo de uma mulher casada, séria, “que traiu o parceiro numa relação a três”. Para resolver o problema numa espécie de “ajuste de contas”, os dois entraram numa relação sexual com um terceiro parceiro. Salvaram a relação.

Uma outra curiosidade referida por Scoats é que quando um casal heterossexual se envolve com um terceiro membro do sexo feminino, o homem acaba por retribuir, “participando também num trio FMM” (mulher, homem, homem).

Mas atenção: os dois devem ter a mesma vontade de o fazer, caso contrário “podem surgir problemas”, explica  Kryss Shane, especialista em relacionamentos e terapia LGBTQ +, à revista.

Ghosting, haunting e benching: as práticas das novas relações

No caso de querer avançar com um threesome, tenha atenção às seguintes dicas dadas pelos especialistas à revista.

Fale fora da cama

Aquilo que vai acontecer entre os três deve ser discutido antes. No entanto, não deve fazê-lo num momento sexual entre os dois. Quando um casal está nu na cama há uma maior vulnerabilidade, portanto não é a altura ideal para introduzir o tema, diz Shane.

Contracetivos: sim ou não? Quais?

É do seu interesse para evitar possíveis problemas. Conversem todos e percebam se estão de acordo no que vão ou não usar para se protegerem.

Falem sobre os limites

Ainda que tenha concordado em entrar na experiência, isso não significa que tenha de concordar com tudo. É importante falar sobre os limites da sua vontade antes de se envolver. Por exemplo, se não quer que a terceira pessoa o beije a si ou ao seu parceiro na boca.

Planeie tudo ao pormenor

Fale abertamente com a pessoa com quem está. Como é suposto lidar com a situação no dia seguinte? Falam sobre isso ou ignoram? O terceiro membro dorme com vocês a seguir? É importante pensar em todos os pormenores.