Não, os celíacos não ficam só com a barriga inchada ou com sensação de enfartamento. Não, os celíacos não são só um dos muitos intolerantes ao glúten que de repente surgiram neste país. Ser celíaco é uma doença que pode, no limite, matar.

E ainda que haja cada vez mais produtos nas prateleiras dos supermercados com o selo de “glúten free”, há que ter sempre os olhos atentos aos rótulos. É que este ingrediente proibido está sim, naqueles alimentos mais óbvios como o pão, as massas e a maioria das bolachas, mas esconde-se em produtos nos quais não o imaginávamos. É o caso das batatas fritas congeladas, conservas, ketchup ou a cerveja.

A pensar em quem ainda tem dificuldade em mover-se entre restaurantes e supermercados de forma segura, foi lançada uma aplicação para ajudar nessa tarefa. É uma criação da Schär, empresa italiana líder em produtos sem glúten, e reúne os estabelecimentos — hotéis, restaurantes, supermercados — a servir produtos sem glúten.

Atenção pessoas que não consomem glúten, já há um éclair especial na L’Éclair

Fizemos o teste. Escolhemos Lisboa no mapa disponível na aplicação e percebemos que à nossa volta poderíamos comer no McDonalds, no Celeiro, no Rice Me, no La Trattoria e no Open Brasserie Mediterrânica. Se a ideia fosse dormir num hotel com opções sem glúten nas refeições, sabíamos que o Hotel Santa Marta, o Sofitel e o Penha Longa eram lugar seguro. Já para compras, são várias as ervanárias e lojas de produtos naturais, mas também opções como o Continente e o Celeiro.

A aplicação é gratuita e está disponível para iOS e Android.