Verão. Os 6 trilhos mais bonitos de Portugal para descobrir com a mochila às costas

Na altura de descobrir o País a pé, o importante é otimizar o espaço. E, para isso, a Simple tem a linha de produtos ideal.

Há cada vez mais gente a trocar o turismo balnear pelo de passeio

Quando chega o momento de decidir o destino das férias, instala-se a discussão. Uns querem resorts de praia, semanas ao sol, outros preferem cidades, museus, urbanidade. E depois há os outros, que são cada vez mais, e que querem ar livre, natureza, campo.

Vamo-nos focar neste último segmento, que em Portugal é muito mais do que muita gente imagina, até porque não são os trilhos, as aldeias, os espaços naturais, os parques, que ocupam muitas páginas nos guias turísticos. Por isso, esqueça os guias, desative os alertas de preço do Google Flights e troque a mala de cabine por uma mochila, onde terá de otimizar — e muito — o espaço.

Quando o espaço é limitado, há que optar por soluções práticas, mas eficazes, como os novos produtos de beleza Simple Mini. Existem quatro produtos neste formato, com 50 mililitros, e são os indispensáveis para umas férias onde a casa vai às costas: um desmaquilhante, para remover toda a maquilhagem ao final do dia, uma água micelar, para limpar a pele, um gel de limpeza para remover as impurezas e, por fim, um hidratante para manter a pele nutrida durante as viagens.

Estas embalagens, que se podem guardar facilmente em qualquer canto ou bolsa extra da mochila, são produzidas com menos 62% de plástico em relação aos tamanhos normais, o que faz delas sustentáveis e amigas do ambiente. Além disso, todos os produtos da marca Simple são livres de perfumes, corantes artificiais ou químicos agressivos para a pele.

Agora que já sabe quais os essenciais a levar, partilhamos alguns trilhos que pode conhecer nas zonas Norte, Centro, Sul e Interior de Portugal, sem esquecer as Ilhas da Madeira e dos Açores. Deixamos também um guia com todos os essenciais que deve levar na mochila, e algumas dicas de como os deve arrumar na mala para otimizar o espaço.

NORTE

Getty Images/iStockphoto

Passadiços do Paiva (Arouca)

Inaugurados em junho de 2015, os Passadiços do Paiva são um dos percursos mais bonitos de todo o País e receberam em 2019, pelo quarto ano consecutivo, o prémio de Melhor projecto de desenvolvimento turístico da Europa dos World Travel Awards. Pode fazer apenas os 8,4 quilómetros de ida ou fazer também o regresso, totalizando 17 quilómetros.

Distância: 8 ou 17 quilómetros

Ponto de partida e chegada: Areinho/Espiunca

Tempo médio de percurso: 2h30 (ida) ou cinco horas (ida e volta)

Onde ficar? Uma piscina, um jardim, um terraço e duas zebras são algumas das coisas que pode encontrar na Quintãs Farm House, em Arouca. Uma noite num apartamento penthouse, totalmente equipado, custa a partir de 200€.

O que não pode faltar? Sendo que este é um percurso que pode levar bastante tempo, leve um snack prático e saciante como mas barritas energéticas, para não correr o risco de sentir alguma fraqueza durante o trajeto. E ao final do dia, não se esqueça de limpar o rosto com a água micelar Simple Mini para remover todas as impurezas do ar.

CENTRO

Getty Images/iStockphoto

Trilho do Monge (Sintra)

É do Convento dos Capuchos que parte este trilho. As matas de cedros do Buçaco, um marco geodésico e o lugar de Tholos do Monge, uma sepultura pré-histórica coletiva, são alguns dos pontos de maior destaque pelos quais passará durante o trajeto.

Distância: 4,5 quilómetros

Ponto de partida e chegada: Convento dos Capuchos

Tempo médio de percurso: Duas a três horas

Onde ficar? Se precisar descansar as pernas, passe uma noite no Hotel Vila Galé, em Sintra, onde pode aproveitar o spa para relaxar. Uma noite custa a partir de 160€.

O que não pode faltar? Sendo este um percurso que implica muitas subidas, não se esqueça de se manter bem hidratado e leve uma garrafa de água com, pelo menos, 750 mililitros de capacidade. Para manter a pele nutrida, vá aplicando o creme hidratante Simple Mini durante o percurso.

Trilho das Dunas do Almograve (Odemira)

Este trilho é ideal para quem procura uma caminhada curta mas que dê hipótese para aproveitar a vista da zona costeira. É um dos percursos complementares da grande Rota Vicentina (que tem mais de 300 quilómetros) e durante o percurso pode observar várias espécies como os cágados-de-carapaça-estriada que encontra em charcos ao longo do percurso.

Distância: 8 quilómetros

Partida e chegada: Centro de Almograve

Tempo médio de percurso: Duas horas

Onde ficar? O Almograve Beach Hostel é uma das opções mais em conta para os viajantes. Uma noite custa entre 25 e 65€.

O que não pode faltar? Sendo este um percurso perto da praia, não se esqueça de levar o fato de banho, chinelos e toalha na mochila. Não se esqueça também de, depois da praia, lavar o rosto com o gel de limpeza Simple Mini e terminar com o creme hidratante em todo o rosto e pescoço.

SUL

Getty Images/iStockphoto

Trilho do Azinhal dos Mouros (Loulé)

O percurso de Azinhal dos Mouros é considerado um dos mais bonitos do interior algarvio. Começa na Aldeia de Azinhal dos Mouros e vai descendo até à zona da Ribeira do Vascão, que faz fronteira com o Alentejo. Pouco depois, começa-se a subir a serra em direção ao Monte dos Vermelhos, onde pode aproveitar a vista para os vales da serra.

Distância: 15 quilómetros

Ponto de partida e chegada: Azinhal dos Mouros

Tempo médio de percurso: Quatro a cinco horas

Onde ficar? A Loulé Coreto Guesthouse fica a 14 quilómetros do Aeroporto de Faro e perto do centro de Loulé. Tem vários apontamentos rústicos pelo espaço e cada noite, com pequeno-almoço incluído, custa a partir de 87€.

O que não pode faltar? Durante o verão, e principalmente na zona do Algarve, os raios solares tendem a ser muito fortes. Para evitar queimaduras, leve um bom protetor solar na mala e vá aplicando ao longo do dia. Não se esqueça também que o protetor solar não substitui o hidratante, e ponha sempre um pouco do creme Simple Mini antes.

INTERIOR

Getty Images/iStockphoto

Rota dos Penedos Mouros (Gouveia)

Nespereira, Arcozelo, Rio Torto e Vinhó são os concelhos por onde passará durante este trajeto, ideal para os fãs de arqueologia. Passa por duas sepulturas antropomórficas esculpidas no cimo de um rochedo, e poderá também visitar o Dólmen do Rio Torto.

Distância: 18 quilómetros

Ponto de partida e chegada: Parque Senhora dos Verdes (Cativelos)

Tempo médio de percurso: Cinco a seis horas

Onde ficar? As Casas D’Aldeia, em Mangualde, ficam a apenas 5 quilómetros do local da partida e são compostas por dois apartamentos totalmente equipados. Cada noite custa a partir de 65€.

O que não pode faltar? Por ser um percurso tão longo, é fundamental que leve calçado confortável e aposte em palmilhas para desportistas, para que se sinta confortável durante todo o percurso. Se usar alguma maquilhagem, tenha consigo o desmaquilhante de olhos e a água micelar Simple Mini para limpar o rosto, caso acabe por suar e borrar a maquilhagem.

MADEIRA

Getty Images/iStockphoto

Trilho entre o Pico do Areeiro e o Pico Ruivo (Ilha do Pico, Madeira)

O trajeto que separa os dois pontos mais altos de todo o arquipélago da Madeira, o Pico do Areeiro e o Pico Ruivo, é um dos mais impressionantes que alguma vez poderá fazer. Além da paisagem incrível, há uma variedade imensa de espécies que pode observar.

Distância: 7 quilómetros

Ponto de partida: Miradouro do Pico do Areeiro

Ponto de chegada: Pico Ruivo

Tempo médio de percurso: Três a quatro horas

Onde ficar? A casa de campo Ilhéu do Areeiro, que fica na zona da Madalena, tem vários tipos de casas, todos com cozinhas equipadas, para que possa preparar refeições. Duas noites custam a partir de 360€.

O que não pode faltar? Para mais tarde poder recordar a passagem por esta região, leve consigo uma boa câmara fotográfica para registar todos os momentos do percurso. Como vai querer estar bem nas fotografias, é natural que coloque alguma maquilhagem antes do percurso, mas não se esqueça de usar os produtos Simple Mini para limpar o rosto, remover a maquilhagem ao final do dia e hidratar a pele.

AÇORES

Getty Images/iStockphoto

Trilho do Monte da Guia (Ilha do Faial, Açores)

Este percurso na Ilha do Faial foi o primeiro a ser sinalizado como trail running em todo o arquipélago dos Açores. Fica perto do vulcao do Monte da Guia e está classificado como Paisagem Protegida pela Rede Natura 2000.

Distância: 3,4 quilómetros

Ponto de partida e chegada: Monte da Guia

Tempo médio do percurso: 1h30 a duas horas

Onde ficar? O Azoris Faial Garden – Resort Hotel tem vista para a Montanha do Pico e várias zonas onde pode descansar entre percursos. Cada noite custa a partir de 91€.

O que não pode faltar? Sendo os Açores uma região onde o tempo pode ser verdadeiramente imprevisível, leve na mala um corta-vento para os dias mais frios e chuvosos. E num percurso tão imprevisível como este, o frio pode chegar a qualquer momento, por isso, a hidratação é fundamental, por isso, vá pondo o creme hidratante Simple Mini em zonas estratégicas como o nariz e as bochechas.

E se quer começar a preparar a sua viagem, saiba o que deve levar dentro da mochila!

Conteúdo produzido pela Magg Lab e patrocinado por:

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]