Ainda se lembra quando a comida era servida em pratos rasos? Nós quase que já nos esquecemos, tendo em conta a quantidade de restaurantes que passaram a preparar a refeição numa taça, ou bowl, como rapidamente passaram a ser conhecidos também por cá.

Tomás Junqueiro, 28 anos, foi na onda mas, para aportuguesar o conceito, deixou os estrangeirismos de lado e assumiu que, no seu restaurante, tudo se come numa tigela.

Tjela

Mostrar Esconder

Morada: Rua Duarte Pacheco Pereira, 26c, Lisboa
Horário: 12h-19h (fecha à segunda-feira). Em breve o horário passa a 12h-22h, aberto a todos os dias

 

O Tjela fica no Restelo e tem como vizinhos os croissants do Careca e os hambúrgueres da Hamburgeria do Bairro. Tomás, que com a mãe chegou a abrir no mesmo espaço um restaurante de Fish & Chips que não vingou, decidiu dar uma opção mais saudável àquela zona da cidade. “Saudável, mas não assim tanto”, salienta. É que ainda que a base seja arroz e alguns legumes, há opções com frango teriyaki, abacate e batata doce frita (7,95€) ou com porco barbecue (7,70€). A completar a curta lista de opções, há ainda uma tigela com salmão (9,90€) e uma opção vegetariana, que leva grão, espinafres, tomate, cebola roxa, abacate e ovo cozido (7,40€).

Estão disponíveis tigelas com peixe, carne e uma opção vegetariana

Para não desvirtuar o conceito, as sobremesas são servidas em potes — vão variando mas agora estão disponíveis serradura de Bolacha Maria e cheesecake de maracujá — e os smothies podem ser servidos em copo ou tigela, com ingredientes que vão dos espinafres aos frutos vermelhos, passando pelo atualmente incontornável açaí.

Esqueça os pratos rasos. 5 receitas para comer na taça

No restaurante, Tomás serve também o café de especialidade que foi, aliás, o seu primeiro negócio. Começou com uma carrinha chamada Coffeedential, que ainda hoje circula por vários eventos na cidade. Na carrinha e no Tjela serve café da Guatemala, Etiópia, Brasil ou Costa Rica, com grãos escolhidos por Tomás e torrados em Portugal antes de estarem prontos para vender, tanto servido numa chávena como num pacote para levar para casa.

Para já o restaurante serve apenas almoços e lanches mas Tomás está a tentar que a equipa aumente para passar, em breve, a servir também jantares.