Gregg Segal estava preocupado com a quantidade de lixo que temos neste momento no mundo — e de que nem nos apercebemos. “Para mim, a coisa mais preocupante sobre o lixo que fotografei foi a embalagem que vem com a nossa comida”, explicou ao “My Modern Met“. “Nós crescemos totalmente dependentes das indústrias alimentares e o resultado tem sido um aumento massivo de resíduos.” Esta preocupação deu origem ao projeto “7 Days of Garbage“, que, juntamente com as questões da obesidade infantil, fizeram nascer um novo trabalho fotográfico: “Daily Bread: What Kids Around the World Eat“.

Este projeto deu origem a um livro

Mostrar Esconder

Além de “Daily Bread: What Kids Around the World Eat” poder ser visto no site de Gregg Segal, a powerHouse Books disponibiliza este projeto em formato físico. Um livro de 120 páginas que detalha as histórias por detrás dos retratos está à venda por 35,72€.

Foi no início de 2015 que o fotógrafo de 54 anos começou a captar imagens do que as crianças comem durante uma semana. Segal escolheu miúdos de várias partes do mundo, desde o Senegal ao Brasil. E porquê os mais novos? “Se não comermos corretamente quando temos 9 ou 10 anos, será muito mais difícil quando formos mais velhos”, disse ao “Buzzfeed“.

As fotos mostram dietas tradicionais que ainda não foram afetadas pela globalização e, surpreendentemente, o fotógrafo descobriu que as dietas mais saudáveis eram consumidas por aqueles que têm menos condições económicas.

Mostramos-lhe 12 fotografias de Gregg Segal, que mostram a alimentação de 12 crianças pelo mundo.

Meissa Ndiaye, 11 anos, Dakar, Senegal

Ndiaye divide um quarto com o pai, a mãe e o irmão no Parcelles Assainies, um bairro que foi criado na década de 70 no Dakar, com o objetivo de abrigar as pessoas com menor poder económico.

Meisse Ndiaye, muçulmano e estudante da Escola do Alcorão, adora alimentos doces, como mingau e carne de bode, embora na semana em que teve um registo diário das suas refeições tenha comido pouca carne.

Kawakanih Yawalapiti, 9 anos, região do Alto Xingu do Mato Grosso, Brasil

Kawakanih vive com a sua tribo, a Yawalapiti, no Parque Nacional do Xingu, uma reserva na bacia amazónica do Brasil.

Os Yawalapiti colecionam sementes para preservar as espécies exclusivas do seu ecossistema, que fica entre a floresta tropical e a savana.
A dieta de Kawakanih tem como base peixe, mandioca, mingau, frutas e nozes. A sua alimentação é simples, tal como diz Kawakanih: “Demora cinco minutos para ires buscar o jantar, quando estás com fome. Vais apenas para o rio com a tua rede.”

Nur Zahra Alya Nabila Binti Mustakim, 7 anos, Kajang, Malásia

Os pais de Nur trabalham na indústria hoteleira e têm uma casa com três quartos em Taman Sinaran, Balakong, um bairro movimentado no estado de Kajang, no sul de Kuala Lumpur.

Cerca de 90% das refeições de Nur são caseiras. O seu prato predileto é muito cozinhado pela mãe. Chama-se nasi lemak e consiste numa mistura de arroz, ovos cozidos, pepino, anchovas, amendoim e sambal (molho picante), cozidos em leite de coco e embrulhados em folhas de bananeira.

Tharkish Sri Ganesh (à direita), 10 anos e Mierra Sri Varrsha, 8 anos, Kuala Lumpur, Malásia

Tharkish e Mierra vivem com os pais num projeto habitacional público em Bukit Jalil, um bairro em Kuala Lumpur. No prédio onde vivem, têm imensos amigos e o ambiente é barulhento — no bom sentido, garantem.

O pai trabalha como produtor de filmes e a mãe é dona de casa e faz a maior parte da comida. Aos fins de semana, aproveitam para ir a restaurantes de comida chinesa ou de fast food como o KFC e a Pizza Hut.

Rosalie Durand, 10 anos, Nice, França

Após o divórcio dos pais, Rosalie viveu um tempo com a mãe e outro com o pai — o que lhe permitiu ver o Mar Mediterrâneo e os Alpes franceses.

Tem uma dieta saudável, que inclui peixes frescos, como a sardinha, graças em parte ao pai, dono de um restaurante, que a ensinou a fazer crepes, saladas e lentilhas com linguiça, o seu prato favorito.

14 hábitos alimentares caricatos dos famosos

Yusuf Abdullah Al Muhairi, 9 anos, Mirdif, Dubai, Emirados Árabes Unidos

A mãe de Yusuf foi do Dubai para a Irlanda trabalhar como chefe de pastelaria.

Yusuf ama a comida da mãe, embora também goste de fazer ovos mexidos e torradas. Deitado na cama à noite, pensa no verão na Irlanda, como quer ir à pesca com o avô e construir uma casa de pássaros.

Anchal Sahani, 10 anos, Chembur, Mumbai, Índia

Anchal mora num contentor de alumínio de 2,4 metros por 2,4 metros, num bairro em Mumbai. Vive com os pais e dois irmãos.

Embora o pai ganhe menos de 4,46€ por dia, é suficiente para a mãe comprar legumes frescos, como quiabo e couve-flor, e fazer caril caseiro, lentilha e roti a partir do zero.

Greta Moeller, 7 anos, Hamburgo, Alemanha

Greta mora com a mãe e a irmã mais nova em Hamburgo, mas também passa bastante tempo com os avós.

No caminho para a casa dos avós há uma castanheira e, no outono, Greta procura, juntamente com a irmã, por castanhas. A sua comida preferida são douradinhos de peixe com puré de batata e maçã.

Altaf Rabbal DLove Bin Roni, 6 anos, Gombak, Malásia

Altaf e a família vivem em Kampung Kerdas, uma pequena aldeia com cerca de 30 famílias nos arredores de Kuala Lumpur.

O pai de Altaf fabrica e vende espetadas de frango satay no seu próprio espaço. A comida favorita de Altaf é o frango e a espetada de carne do pai. É temperado com gengibre e ervas, assado em fogo de carvão e servido com fatias de pepino frio.

Alexandra Lewis, 9 anos, e Jessica Lewis, 8 anos, Altadena, Califórnia

Alexandra e Jessica moram nas montanhas de Altadena com os dois pais do sexo masculino, que são engenheiros no laboratório de propulsão a jato, num centro de campo da Nasa em La Canada, Califórnia.

No jardim têm várias árvores de fruto, onde colhem figos, pêssegos, romãs, goiabas, amoras, jujubas e bananas. Também têm vinhas, galinhas e comem ovos quase todos os dias.

Estudos afirmam que comida ultraprocessada aumenta o risco de doenças cardíacas

Isiah Dedrick, 16 anos, Long Beach, Califórnia

Isiah foi criado pela mãe e avó, que faz a maior parte da comida. O seu prato favorito é frango com laranja e arroz frito, mas também não resiste ao cheiro das maçãs salteadas com canela.

A mãe não permite que ele beba refrigerantes e, depois da sessão de fotos, Isaiah decidiu eliminar os snacks da sua dieta.

Beryl Oh Jynn, 8 anos, Kuala Lumpur, Malásia

Beryl vive num condomínio com os pais e dois irmãos. O pai de Beryl é engenheiro e a mãe tem uma creche. O seu prato favorito é esparguete com molho carbonara.

Beryl cultiva pak choi e espinafre no jardim da varanda, recusa-se a comer gengibre e não bebe refrigerantes.