Tyson Ranch. Myke Tyson está a construir um resort dedicado à cannabis

Vai ter um hotel de luxo, tendas de glamping, um espaço para festivais de música e ainda uma universidade e centro de investigação.

“Haverá testes na universidade. Vai ser sobre como educar as pessoas sobre os benefícios, como crescer e sobre como estar em negócios legítimos”

Depois de 58 lutas, 50 vitórias, 44 nocautes, seis derrotas, três anos de prisão, uma tragédia familiar (a filha morreu vítima de um acidente doméstico) e uma declaração de falência, Myke Tyson, um dos ex-pugilistas mais famosos do mundo, considerado pela revista “Ring Magazine” um dos 16 melhores, reergueu-se e abraçou o mundo holístico. E parece ter trocado as luvas de boxe por um charro de cannabis.

Vamos recuar uns anos. Em 2016, Tyson, 52 anos, criou a empresa Tyson Holistic Holding, através da qual vendia produtos premium feitos à base de cannabis. Mas este foi só o início. O plano — que ainda não está concluído — é bastante mais amplo: está a construir, desde dezembro de 2017, o Tyson Ranch, um rancho de 164 hectares, localizado no sul da Califórnia, junto ao deserto de Hot Sprint. Em outubro, a empresa já tinha um mapa completo do rancho, mas ainda não se sabe quanto é que falta para que a construção fique concluída.

E o que é que vai haver? Muita coisa — para entreter, para descansar e para investigar. Será a casa de várias atrações turísticas e eventos, como o Kind Music Festival, um festival descrito pelo sócio Rob Hickman, como o “lollapalooza [festival de música] da cannabis”, que já teve a primeira edição a decorrer por lá em fevereiro. Aqui as pessoas podem usar marijuana, ver concertos e saber mais sobre os alegados benefícios desta substância.

A ideia é que o rancho seja vocacionado para a indústria de turismo de cannabis e, por isso, vai também incluir um hotel de luxo e 200 unidades de glamping. Todos os hóspedes podem fumar no rancho, exceto nas áreas onde se faz a comercialização dos produtos à base de cannabis — que não será plantada lá, uma vez que o ex-pugilista é parceiro de vários grandes produtores de marijuana.

Os padrões para a sua produção são elevados: neste futuro império de erva liderado por Tyson, tudo deverá ser livre de pesticidas, o produto deverá garantir a presença de flavanoides naturais, com as plantas a serem cultivadas dentro de casa e colhidas nos seus tempos certos, garantindo a qualidade e efeitos benéficos.

“Pensei no quanto poderia ajudar as pessoas com a cannabis”, disse à “Cannabis Tech Today” o ex-pugilista, que durante anos abusou de drogas pesadas. “Lutei durante mais de 20 anos e o meu corpo está muito desgastado. Passei por duas cirurgias e usei cannabis para acalmar os meus nervos, e isso tirava-me a dor… Antes punha-me a ingerir opiáceos e isso lixou-me todo.”

Mas não se trata só de diversão e descanso. O Tyson Ranch também vai reservar lugar para uma universidade, centro de investigação e educação sobre cannabis, centrada em torno da utilização com fins medicinais da substância e nas técnicas de cultivo para futuros agricultores. “Ele está a construir um centro holístico de saúde e bem-estar”, descreveu Hickman.

“Haverá testes na universidade. Vai ser sobre como educar as pessoas sobre os benefícios, como crescer e sobre como estar em negócios adequados.”

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]