Crítica. A Quinta dos Perfumes tem o cheiro de casa — e é perfeita para famílias e casais

Fica em Cabanas de Tavira, tem piscina de água salgada, jantares no terraço, sumo de laranja fresco e croissants de salivar.

Os estúdios foram renovados em março de 2019

FILIPE FARINHA / STILLS

Existem fases ou momentos da vida em que a última coisa que desejamos é que o hotel em que estamos alojados se pareça, sequer, com a nossa casa. Queremos as piscinas com animação, os bares com os bancos dentro de água, onde ficamos a saborear um cocktail colorido ao som do DJ residente na festa ao final da tarde.

Mas quer seja pela idade, pela companhia da família ou apenas porque só queremos sopas e descanso, existem outras ocasiões em que valorizamos o silêncio e o facto de sentirmos que aquele quarto ou aquele terraço são o nosso lar. Se é adepto desta segunda opção, garantimos-lhe que se vai sentir em casa na Quinta dos Perfumes, um agro-turismo de luxo na região de Cabanas de Tavira.

Entrar pelos portões da quinta é quase como passar de um universo para o outro, já que para trás fica a movimentada Estrada Nacional 125. Depois da passagem pelos portões de madeira, somos recebidos por um silêncio incrível e não conseguimos tirar os olhos das centenas de laranjeiras que ladeiam o caminho de terra até ao edifício principal deste agro-turismo, onde podemos encontrar a receção, o lounge, a sala de pequenos-almoços e os quartos duplos, divididos entre as tipologias deluxe e terrace — a única diferença entre os dois é a localização no andar térreo, com terraço privado, ou no primeiro andar, com vista para a propriedade e para o mar.

Inaugurada em dezembro de 2013, numa época em que o empreendimento turístico estava aberto durante todo o ano (hoje fecham entre novembro e março), a Quinta dos Perfumes abriu portas apenas com seis quartos: cinco estúdios, que têm uma kitchenette e terraço privado, e um quarto duplo. Em junho de 2017, ampliaram a oferta com a inauguração daquele que é hoje o edifício principal, com mais quartos duplos, perfazendo o total de 15 quartos, que se mantém até hoje.

Em março de 2019, quando iniciaram a nova temporada, abriram ao público com os estúdios de cara lavada, que é como quem diz, completamente renovados. “Os estúdios foram o início da Quinta dos Perfumes, mas já não nos identificávamos com a decoração e o aspeto deles”, conta à MAGG Pedro Estrela, o proprietário do agro-turismo.

A decoração rústica e as peças de família deram lugar a estúdios com um aspeto clean e peças simples e intemporais, com a ajuda de uma designer de interiores. “Quisemos colocá-los em linha com os quartos mais recentes, no outro edifício, mas também escolhemos cores claras para dar destaque ao exterior, ao mar, às laranjeiras, às plantas, para que as cores de fora viessem para dentro dos quartos”, explica Pedro Estrela.

“Cada macaco no seu galho”: a Quinta dos Perfumes é para famílias, mas também é para quem quer puro descanso

Se acha que o mesmo empreendimento turístico não se pode destinar a famílias com crianças pequenas, bem como a casais que só desejam silêncio sem que uma das partes incomode a outra, a Quinta dos Perfumes existe para o provar errado — mas a divisão é clara.

Os estúdios têm um sofá-cama que pode alojar duas pessoas extra (quatro, no total), e estão localizados num ponto da quinta. Mais à frente, os quartos duplos ficam num edifício separado, e Pedro Estrela explica que não são colocadas camas extra nesta tipologia. Tal não quer dizer que as crianças não sejam bem-vindas neste segundo local, mas é feito um esforço por colocar famílias e casais em dois pontos diferentes — tudo em nome da privacidade de todos os clientes.

E a verdade é que nestes renovados estúdios nos sentimos verdadeiramente em casa, e as famílias estão muito mais à vontade. A pequena kitchenette permite-lhe cozinhar (mas deveriam existir mais alguns utensílios de cozinha), tem o frigorífico para guardar tudo o que necessita, e também um micro-ondas para aquecer o que precisar.

A cereja no topo do bolo é mesmo o terraço privado, com alguma vegetação para substituir as divisórias entre cada estúdio, para uma maior privacidade, com um sofá perfeito para colocar a leitura em dia e uma pequena mesa onde três pessoas conseguem comer confortavelmente.

No meu caso, que viajei com uma criança de 2 anos, todos os cuidados foram tidos em conta: existia um berço com a cama já feita à nossa espera, bem como uma cadeirinha de refeições para ajudar nos almoços e jantares. A casa de banho tem banheira em vez de chuveiro, e todos os pais de miúdos pequenos entendem o quão importante isto é.

Das árvores para o seu copo: aqui, o sumo de laranja faz jus à fama das laranjas do Algarve

Por mais que nos tenhamos habituado ao sumo de laranja de pacote feito, alegadamente, com laranjas algarvias, nada vai substituir o sabor de um sumo natural feito no momento, com as verdadeiras laranjas desta região — e como já lhe dissemos, se há coisa que não falta neste empreendimento são laranjeiras.

O sumo está na mesa de pequeno almoço, como não podia deixar de ser, mas também doces caseiros, ovos cozinhados de várias formas, fruta fresca, pão saloio, queijo regional e uns croissants quentes que nem sabemos começar a descrever. Não são folhados, não são de massa brioche, mas assemelham-se a um mix dos dois. E podemos afirmar que são deliciosos e que parar só no primeiro é tarefa complicada.

É também nas mesas colocadas no alpendre, onde é servida a primeira refeição do dia, que pode comer um conjunto de pratos leves. A Quinta dos Perfumes não serve almoços nem jantares, mas tem uma carta de snacks como saladas, wraps, hambúrgueres e tostas. E embora alguns sejam servidos até à 00h, outros, como as saladas por exemplo, devem ser encomendados até às 14 horas, mesmo que os prefira consumir mais tarde.

A par da atenção ao cliente pautada em todos os serviços deste agro-turismo, esta qualidade não podia faltar nos vinhos. “Todos os vinhos que servimos aqui são de pequenos produtores e dificilmente os vai encontrar em superfícies comerciais”, salienta Pedro Estrela, que considera este mais um ponto na aura de exclusividade da Quinta dos Perfumes.

“Cada vez mais as pessoas gostam de exclusividade. Não querem ser o número de um quarto, mas sim tratadas pelo nome. O consumidor está mais exigente, e eu sei que os nossos preços são elevados. Mas ver um cliente regressar, fazer o check-out ao mesmo tempo que marca as férias do ano seguinte é, para mim, a minha maior satisfação”, conta o proprietário.

Apesar de o mar se avistar ao fundo da propriedade, e de a praia de Cabanas de Tavira estar a cerca de cinco minutos de carro, este agro-turismo também tem uma apetitosa piscina de água salgada, com um bar com uma política de confiança mesmo ao lado: pode servir-se das bebidas e snacks à vontade, e apenas tem de deixar apontado os consumos, bem como o número do quarto.

Também existem bicicletas que pode usar à vontade, sem qualquer custo extra, tal e qual como se estivesse em sua casa — e é mesmo assim que Pedro Estrela quer que se sinta. “Ouvir os nossos clientes a compararem a quinta aos seus lares é exatamente o que gostamos de ouvir”, confessa.

Em junho e julho, os preços diferem entre os 190€ e os 200€ por noite, consoante a tipologia de quarto escolhida.

A MAGG ficou alojada a convite da Quinta dos Perfumes.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]