Das batatas ao bebé que não cresce. 12 erros em “A Guerra dos Tronos”

O copo do Starbucks gerou o caos na internet, mas está longe de ter sido a primeira falha na série.

As cicatrizes de Jon Snow ficaram diferentes em pouco tempo

Às vezes é simplesmente impossível reparar em todos os pormenores. Que o diga Ridley Scott, que no filme “Gladiador” deixou passar 146 falhas — como um avião a atravessar os céus ou as botijas de gás visíveis na Batalha de Cartago. Já em “Star Wars: Episódio IV — Uma Nova Esperança“, há um Stormtrooper que bate com a cabeça na porta. Curiosamente, também ninguém reparou nisso.

Se estes são os erros mais evidentes, há outros que passam praticamente despercebidos — e são bem mais frequentes. Objetos que mudam de lugar misteriosamente, diferenças subtis no cenário ou até uma Julia Roberts que está a comer um croissant que de repente se transforma numa panqueca (“Um Sonho de Mulher“) são incidentes relativamente comuns no cinema e televisão.

É verdade que os erros são frequentes. Mas é verdade também que ninguém estava à espera de ver um copo da Starbucks num grande banquete no salão nobre de Winterfell, em “A Guerra dos Tronos“. Os fãs reagiram com humor ao sucedido, mas a produtora executiva Bernadette Caulfield não levou o acontecimento de ânimo leve.

“Não acredito que isto tenha acontecido. Os nossos aderecistas e decoradores estão focados a 1000% e não consigo acreditar nisto, honestamente. Até porque, hoje em dia, as pessoas conseguem colocar objetos que não existem numa fotografia com imensa facilidade. Mas acredito que tenha ficado lá, não tenho a certeza, mas ok. Pedimos desculpa!”, declarou à rádio WYNC.

Bernadette Caulfield pediu desculpa, mas o copo da Starbucks está longe de ter sido o primeiro (e único) erro de “A Guerra dos Tronos”. Das falhas técnicas às imprecisões na narrativa, a série está longe de ser perfeita.

O estranho caso do ouro que derreteu demasiado rápido (6.º episódio da 1.ª temporada)

Na cena em que Khal Drogo atira ouro líquido para Viserys, ficou claro que alguém saltou algumas aulas de ciência na escola. Drogo usou um simples caldeirão sobre uma fogueira para derreter alguns medalhões de ouro. Ora o ponto de fusão do ouro é de 1.064 graus. Para começar, a panela teria derretido. Depois, como é que chegou a essa temperatura tão rápido?

O colar de Melisandre (1.º episódio da 6.ª temporada Vs. 4.º episódio da 2.ª temporada)

Na estreia da sexta temporada, Melisandre tirou o colar que a mantinha com uma aparência jovem e revelou a sua verdadeira aparência: uma senhora muito, muito, mas mesmo muito velha. Dois anos antes, porém, Melisandre está a tomar banho sem o seu mágico colar e continua jovem.

Os nomes do mantra de Arya vão mudando

Arya Stark tem um mantra com os nomes das pessoas que pretende matar. Ao longo da série há nomes que vão desaparecendo, alguns de forma justificada — porque já morreram, como Joffrey —, outros nem por isso — é o caso de Melisandre, Beric Dondarrion e Thoros de Myr. O que mudou? Não sabemos.

O bebé que demorou anos a crescer (3.º episódio da 3.ª temporada Vs. 10.º episódio da 5.ª temporada)

Mesmo que Gilly tenha tido o filho no início da terceira temporada, não é compreensível o porquê de não estar maior no final da quinta. Enquanto se travam batalhas épicas, passam-se jornadas longas e envelhecem personagens, mas o bebé continua exatamente o mesmo entre estas temporadas.

As cicatrizes desaparecidas de Jon Snow (6º episódio da 7.ª temporada)

Na sétima temporada, Jon Snow tem cicatrizes na cara e no peito. Numa cena posterior, porém, a cara está perfeita e a cicatriz no peito andou um bocadinho para a direita.

Afinal qual é a mão infetada? (9.º episódio da 5.ª temporada)

Jorah oferece a sua mão direita a Daenerys Targaryen, uma vez que a esquerda está infetado com uma doença contagiosa. Na batalha, porém, é possível vê-lo a segurar Daenerys com a mão esquerda quando usa a outra mão para matar.

Um toque moderno (10.º episódio da 5.ª temporada)

Stannis Baratheon está caído no chão mas é visível um carregador por baixo da sua perna.

Uma espada de borracha (9.º episódio da 6.ª temporada)

No episódio “Battle of the Bastards”, Jon Snow está a andar a cavalo com uma saltitante espada de borracha. Ups.

O cabelo de Shireen Baratheon (6.º episódio da primeira temporada)

No episódio “A Golden Crown”, Ned Stark explica que os filhos de Cersei não são de Robert porque, historicamente, todos os Baratheon nascem com os cabelos extremamente escuros. Isto é tão importante para a história que até houve uma guerra envolvendo cinco reis por causa da cor de cabelo de meia dúzia de crianças. Então porque é que Shireen Baratheon é quase loira?

As batatas da mãe de Olly (3.º episódio da quarta temporada)

No episódio “Breaker of Chains”, a mãe de Olly está a preparar um jantar com batatas. Problema: não existiam batatas na idade média, sobretudo no período e geografia em que a série se inspira. As batatas são nativas da América e só chegaram à Europa no final do século XV.

O colar que afinal toda a gente tem (2.ª episódio da 5.ª temporada Vs. 1.ª e 3.ª temporada)

No episódio “House of Black and White”, Cersei pede a Jaime que vá à procura de Myrcella, que detém um colar com a imagem de uma víbora a exibir as suas presas. Segundo a personagem, só existem dois colares como aquele: um de Cersei e outro de Myrcella. Só que não é bem assim — no sexto episódio da primeira temporada, Sansa recebe um colar igual de Joffrey. No quinto episódio, Ros mostra exatamente o mesmo colar a Theon, dizendo que foi um presente de Tyron.

A mudança de King’s Landing

King’s Landing foi, em tempos, uma grande cidade rodeada por mar e com uma paisagem repleta de árvores e montanhas. No entanto, após um dos conflitos mais violentos (e caros de toda a série), já nada era assim. Onde anteriormente existiam montanhas, mar e árvores, agora existe apenas uma espécie de deserto onde toda a vegetação da capital de Westeros morreu.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]