Mulher sai em liberdade sob fiança depois de ter matado o marido com um martelo

Georgina Challen admitiu o crime, mas os juízes entenderam que sofria de problemas psicológicos no momento em que agrediu o marido.

Georgina Challen vai ter de se apresentar no posto da polícia duas vezes por semana enquanto aguarda o novo julgamento

Em 2011, a britânica Georgina Challen, de 65 anos, foi condenada a prisão perpétua depois de ter confessado que matou o marido Richard Challen com um martelo. Ao fim de oito anos na cadeia, a mulher vai sair sob fiança no próximo sábado, 6 de abril, conforme avança o jornal britânico “Daily Mail“.

No início do ano, Georgina Challen viu a condenação ser anulada depois de os juízes ouvirem as suas alegações de que teria sido vítima de um “controlo coercivo” por parte do marido ao longo do casamento. Agora, enfrenta um novo julgamento por homicídio, mas vai ficar em liberdade sob fiança, uma vez que os juízes tiveram em consideração o estado psicológico da mulher no momento do ato.

“O Tribunal da Apelação entendeu que, na opinião de um psiquiatra forense, a réu sofria de dois distúrbios mentais no momento do homicídio. Esta prova não estava disponível no momento do julgamento”, disse a juíza Heather Hallett .

A mulher de 65 anos, que se encontra presa em HMP Bronzefield — uma das maiores prisões para mulheres da Europa —, no oeste de Londres, vai ser recebida pelo filho que a apoiou ao longo de todo o processo.

‘Hoje estamos muito felizes pelo facto de a fiança ter sido concedida à nossa mãe e ela será agora libertada para junto de nós. A nossa mãe junta-se agora à nossa família”, declarou o filho David Challen, ao jornal “Daily Mail”. “É um dia feliz para nós, podermos vê-la novamente.” David Challen afirmou ainda que a mãe está “ansiosa por estarem novamente juntos depois de tanto tempo”.

Georgina Challen vai ter de se apresentar no posto da polícia duas vezes por semana enquanto aguarda o novo julgamento.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]