A Bolt vai passar a ser (outra vez) concorrente direta da Uber no serviço de entrega de comida. Quando a Taxify mudou de nome para Bolt, no início deste mês, quis mostrar que pretendia ser muito mais do que apenas uma plataforma de transporte de passageiros. Esta quinta-feira, 21 de março, a empresa confirma isso mesmo, com o anúncio do lançamento de um serviço de entrega de comida na Europa e em África.

Em comunicado à imprensa, Markus Villig, CEO e co-fundador da empresa, afirma que “na Bolt somos extremamente focados no cliente. Um dos melhores exemplos disso é a forma como construímos uma empresa assente na eficiência, de forma a oferecermos os melhores preços aos utilizadores e as comissões mais baixas aos condutores deste tipo de plataformas. A nossa visão levou-nos a crescer mais rapidamente e com o menor custo do que qualquer outra plataforma de mobilidade do mundo”.

O serviço de entrega de comida vai ser lançado este verão, em primeiro lugar na Estónia, Finlândia e África do Sul. “Agora queremos levar o nosso mindset ao mercado de entrega de comida. Ao combinarmos a nossa tecnologia com operações eficientes e centenas de milhares de condutores, planeamos criar o melhor serviço de entrega de comida para milhões de pessoas na Europa e África, que já usam diariamente a nossa plataforma”, realça Markus Villig. A longo prazo, o objetivo será chegar a outros mercados.

Taxify passa a chamar-se Bolt e quer apostar nas trotinetes elétricas

A marca da Estónia é uma das maiores rivais da Uber na Europa, contando com mais de 25 milhões de utilizadores em mais de 30 países. Presente em Portugal desde janeiro de 2018 com o serviço de transporte de passageiros, espera-se que alargue operações ao longo de 2019 com um serviço de partilha de trotinetes elétricas, concorrendo com empresas como a Lime, Hive, Tier, Bungo, Voi, Wind e Flash.