Um estudo publicado a 5 de fevereiro na revista “Plos One” concluiu que há uma relação entre a personalidade dos donos e o comportamento e bem-estar dos animais. A investigação elaborada pela Universidade Nottingham Trent e pela Universidade de Lincoln, no Reino Unido, sugere que, do mesmo modo que a personalidade de um pai ou de uma mãe pode interferir na personalidade de uma criança, o mesmo se verifica com um gato e o seu dono.

Os investigadores descobriram que existe uma relação entre os donos com elevados índices de neuroticismo ­­— a tendência para sentir emoções mais negativas como ansiedade, medo, solidão, raiva ou depressão — com os gatos que apresentavam o mesmo perfil. Os animais de estimação também evidenciaram comportamentos mais agressivos, ansiosos, temorosos e de stresse, bem como uma maior probabilidade de estar acima do peso recomendado. Em sentido inverso, os gatos mais felizes, mais saudáveis e mais calmos, eram aqueles cujos donos eram mentalmente mais equilibrados.

“Esta ligação tem sido amplamente pesquisada em pais e crianças, no entanto, pouco se sabe sobre esta dinâmica no que diz respeito às relações dos seres humanos com animais não humanos. As interações do dono com os animais de companhia podem fornecer informações valiosas sobre o fenómeno mais amplo de interações familiares, já que os donos geralmente adotam o papel de cuidador principal e potencialmente de pais substitutos”, pode ler-se no estudo.

O estudo concluiu que os gatos mais felizes, mais saudáveis e mais calmos, eram aqueles cujos donos eram mentalmente mais equilibrados

Unsplash

“Muitos tutores consideram os seus animais de estimação como um membro da família, formando laços sociais estreitos com eles. Portanto, é muito possível que os animais de estimação possam ser afetados pela maneira como interagimos e os orientamos, e que ambos os fatores são, por sua vez, influenciados pelas nossas diferenças de personalidade“, afirmou Lauren Finka, coautora do estudo, ao jornal britânico “The Telegraph”.

Estudos anteriores já haviam concluído que maiores pontuações de neuroticismo dos pais estão geralmente relacionadas com um menor bem-estar das crianças. Por outro lado, as crianças que têm pais com estilos de bem-estar e parentalidade mais positivos, também mostram mais afabilidade, abertura, consciência e extroversão.

O dia em que perdi o meu animal de estimação

Estamos a aprender cada vez mais que o bem-estar dos animais de estimação é impulsionado pela natureza subjacente do tutor e não simplesmente pelas suas decisões e comportamentos conscientes”, referiu Mark Farnworth, coautor da investigação, ao “The Telegraph”.

O estudo envolveu três mil donos de gatos que vivem maioritariamente no Reino Unido. Foram realizadas perguntas online sobre a personalidade dos proprietários, bem como acerca dos estilos de comportamento e de vida, da saúde física, da raça dos seus gatos.