Estudante universitário morre depois de comer massa com cinco dias

É preciso ter cuidado com a forma como os alimentos são acondicionados — em casos mais graves, uma intoxicação alimentar pode ser fatal.

Alimentos mal acondicionados podem provocar graves intoxicações alimentares

Elli O./Unsplash

O caso remonta a 2008, mas foi recuperado agora pelo youtuber Bernard. A 21 de janeiro, o jovem mais conhecido por Chubbyemu publicou um vídeo no seu canal a contar a história de AJ, um estudante universitário belga de 20 anos que morreu depois de ter ingerido massa com molho de tomate. A comida tinha sido guardada à temperatura ambiente e já tinha cinco dias. AJ aqueceu a sua refeição e logo de seguida saiu para treinar.

Meia hora depois, AJ estava de regresso a casa com dores de cabeça, dores de estômago e enjoos. Nas horas seguintes, o rapaz vomitou várias vezes e teve dois episódios de diarreia líquida. Por volta da meia-noite, adormeceu.

Na manhã seguinte, como já passava das 11 horas e AJ ainda não se tinha levantado, os pais foram ver o que se passava. Encontraram o filho já sem vida. A autópsia revelou que o rapaz morreu por volta das 4 da manhã. As análises feitas à massa concluíram que esta estava estragada e com vestígios da bactéria B.Cerus, conhecida por causar intoxicações alimentares.

No vídeo, que conta com mais de dois milhões de visualizações, Chubbyemu, médico, explica que a causa de morte AJ deveu-se ao facto de o fígado ter parado de funcionar, algo que não é comum acontecer numa intoxicação alimentar.

“Normalmente, a intoxicação alimentar apenas provoca uma inflamação no estômago, enjoos, vómitos e diarreia”, explicou Bernard, acrescentando que “por norma não causa insuficiência hepática aguda”. O youtuber ressalvou ainda que, embora não seja comum uma pessoa morrer por causa desta doença, já foram reportadas algumas mortes provocadas por causa de intoxicações alimentares, sendo necessário ter cuidado com a forma como os alimentos são preservados.

Em 2011, foi publicado um artigo científico no “Journal of Clinical Microbiology” a analisar este caso. Apesar de os resultados da autópsia terem sido inconclusivos, explicam, provavelmente devido à demora da análise, o elevado número de bactérias B.Cerus e a concentração significativa de cereulida são a causa mais provável de morte. De acordo com os cientistas, requerem-se mais investigações sobre os mecanismos de virulência da bactéria.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]