Apple e Samsung unem-se para concorrer com a Netflix

As novas televisões da marca sul-coreana vão chegar com o iTunes instalado. Vem aí o novo serviço de streaming da empresa de Tim Cook.

A nova parceria acontece antes do lançamento do novo serviço de streaming da Apple

O que é que uma empresa faz quando o seu produto mais importante deixa de lucrar tanto como esperado? Se for a Apple, alia-se à concorrência e tenta outra caminho. Depois da notícia de que os novos iPhones estavam a vender pouco na China e no resto do mundo, a multinacional norte-americana anunciou esta segunda-feira, 7 de janeiro, uma parceria que implica oferecer o iTunes e o novo sistema AirPlay 2 através das novas televisões da Samsung.

A ideia é simples: criar uma nova plataforma de streaming, que concorra diretamente com a Netflix e com a HBO, e que chegue ao maior número de pessoas possíveis no mundo.

Isto implica que, assim que o novo serviço for lançado, aqueles que o desejem experimentar não vão precisar de comprar uma Apple TV (que em Portugal está disponível a partir de 199€ na versão 4K).

Todo o catálogo da Apple, que se supõe que seja composto por um conjunto de originais e de outros conteúdos pagos, vai estar disponível à distância de um clique numa aplicação própria do iTunes dentro do sistema operativo da Samsung.

As novas televisões inteligentes da Samsung a chegar ao mercado com iTunes instalado têm lançamento previsto para a primavera. Mas caso seja daqueles que tem um modelo de 2018, não se preocupe: a sua televisão vai receber uma atualização de sistema para que possa tirar partido das novas funcionalidades.

Apesar de parecer uma união improvável, a verdade é que esta não é a primeira vez que as duas empresas estão envolvidas numa parceria. Desde 2017, por exemplo, que a Samsung ganha cerca de 100€ por cada iPhone X que é vendido — precisamente porque foi a responsável pelo fabrico do ecrã e de outros componentes do topo de gama da Apple.

Quanto à chegada do novo serviço de streaming da empresa de Tim Cook, conhecem-se poucos detalhes. Segundo o “The Verge”, a nova plataforma deverá chegar ainda este ano a mais de 100 países.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]