Grupo de ativistas vegan invade restaurante e mostra vídeo de vacas a serem mortas

“Não é comida, é violência”, diziam os cartazes do grupo do Direct Action Everywhere, que invadiu o restaurante Touro Steakhouse em Brighton

"Não podemos ignorar mais o sofrimento e dor que causamos. Não somos os únicos seres vivos sensíveis que habitam este planeta”, disseram os ativistas

Durante 20 minutos, um grupo de ativistas do Direct Action Everywhere esteve no Touro Steakhouse, um restaurante brasileiro em Brighton, no Reino Unido, a protestar contra a violência e consumo de animais. Além de discursos, mostraram vídeos com vacas a serem mortas e imagens de porcos em sofrimento.

“Numa altura em que vivemos uma destruição ambiental massiva, devido, sobretudo, às nossas escolhas alimentares pouco éticas e sustentáveis, é fundamental que ponhamos os nossos egos e egoísmo de lado e aceitemos que estamos todos ligados, que somos todos animais”, disse o porta-voz do grupo.

Apesar de terem permanecido algum tempo dentro do estabelecimento, não foram propriamente bem recebidos. Enquanto discursavam, os empregados de mesa reclamavam e os clientes riam-se, filmavam (pode ver o vídeo) e gozavam com a situação, fazendo os sons de uma vaca a mugir. O gerente do restaurante, Madsu Sudan Galtam, chamou a polícia, que acabou por não aparecer.

“Estão a deixar-nos protestar, mas estão a comer carne de animais à nossa frente”, disse um dos ativistas. Nos cartazes que seguravam, lia-se: “Não é comida, é violência.”

“Não podemos ignorar mais o sofrimento e dor que causamos. Não somos os únicos seres vivos sensíveis que habitam este planeta”, disseram os ativistas. De acordo com o que relata o jornal inglês “The Sun”, que deu a notícia, o número de pessoas vegan quadriplicou para 650 mil, desde 2011.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]