Guia Michelin. Ainda não foi desta que conseguimos ter um restaurante com três estrelas

Henrique Sá Pessoa é a figura em destaque. O seu restaurante, Alma, passa a ter duas estrelas Michelin.

O restaurante Alma, de Henrique Sá Pessoa, ganha duas estrelas Michelin

  1. Pensar que tudo isto começou num guia feito para ajudar quem andava na estrada é surreal.

Pelos pudins de santola, as trufas negras e o lavagante que por aqui já passaram, cheira-me que já ninguém se lembra que o primeiro guia Michelin, criado em 1889, tinha informações tão técnicas como onde está a bomba de gasolina mais próxima, como se muda um pneu ou qual o restaurante onde se pode trincar qualquer coisa antes de continuar viagem.

Os irmãos Michelin perceberam que de todo esse almanaque, era a comida que puxava carroça e é por isso que, para saber onde pôr gasolina ou aprender a mudar um pneu contamos com as aplicações no telemóvel, mas ninguém nos tira a curiosidade em saber quais os restaurantes de beira de estrada — ou a pedir um desvio — que nos obrigam a parar.

E é por isso que hoje não há caminhos alternativos. Todas as estradas do mundo —gastronómico, pelo menos, — vão dar ao Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa, onde acaba de ser apresentado o Guia Michelin ibérico de 2019.

Para Portugal, que se estreia enquanto anfitrião da gala, há boas e más notícias. Primeiro as boas que, afinal, o dia é de festa. Portugal não perde nenhuma das estrelas conquistadas no ano anterior e às 28 estrelas espalhadas por território nacional, junta mais quatro. Agora a má notícia: ainda não é desta que temos um restaurante português com três estrelas, a classificação máxima dos críticos, que se traduz numa “cozinha de nível excecional”.

O foco estava apontado para o Belcanto, de José Avillez, não só por ter já duas estrelas desde 2015, mas também porque o chef venceu este ano o prémio de “Melhor cozinheiro do ano”, o Grand Prix de L’Art de la Cuisine, atribuído pela Academia Internacional de Gastronomia.

Arrumadas as previsões que não se concretizaram, foquemo-nos nas conquistas. Portugal ganha quatro novas estrelas e tem atualmente 32 estrelas.

O Alma, espaço de Henrique Sá Pessoa soma mais uma estrela e é agora um restaurante com duas estrelas Michelin.

As estreias neste mundo dos prémios gastronómicos dá-se com a estrela entregue ao Midori, em Sintra, do chef Pedro Almeida e a festa continua a norte, com a entrega da primeira estrela ao G Pousada, em Bragança, do chef Óscar Geadas, e ao A Cozinha, em Guimarães, do chef Pedro Loureiro.

Feitas as contas, Portugal soma 32 estrelas, espalhadas por 26 restaurantes.

Não nos podemos esquecer é que a esta gala é ibérica e Espanha também tem estrelas a somar às conquistadas. O restaurante Dani Garcia conquista três estrelas e as duas estrelas são atribuídas aos restaurantes Cocina Hermanos Torres (Barcelona), El Molino de Urdaniz (Urdaitz) e Ricard Camarena (Valencia). Com uma estrela, Espanha ganha 22 novas entradas na lista.

Por encerramento do estabelecimento, por alteração de local ou simplesmente porque os inspetores não reconhecem a mesma qualidade, foram treze os restaurantes espanhóis a perder uma estrela Michelin.

E antes de darmos um fim à festa — que há canapés de chef para provar —, é importante lembrar uma distinção sem direito a estrelas mas nem por isso menos importante. Os Bib Gourmand distinguem restaurantes com uma boa relação qualidade/preço e, este ano, distinguem a tasca do Zé Tuga, em Bragança, e o Avenida, em Lagos.

Aqui fica a lista completa de Estrelas Michelin 2018 para Portugal Michelin:

Restaurantes com duas estrelas:

Alma (Lisboa), Henrique Sá Pessoa — MAIS UMA ESTRELA
Belcanto (Lisboa), José Avillez
Il Gallo d’Oro (Funchal, Madeira) – Benoit Sinthon
Ocean (Armação de Pêra), Hans Neuner
The Yeatman (Vila Nova de Gaia), Ricardo Costa
Vila Joya (Albufeira), Dieter Koshina

Restaurantes com uma estrela:

A Cozinha (Guimarães), Pedro Loureiro
G Pousada (Bragança), Óscar Geadas — NOVO
– Gusto by Heinz Beck (Conrad Algarve Hotel, Almancil)
Vista Restaurant (Praia da Rocha, Portimão)
Antiqvvm (Porto), Vitor Matos
Bon Bon (Carvoeiro), Rui Silvestre
Casa da Calçada (Amarante), André Silva
Casa de Chá da Boa Nova (Leça da Palmeira), Rui Paula
Eleven (Lisboa), Joachim Koerper
Feitoria (Lisboa), João Rodrigues
Fortaleza do Guincho (Cascais), Miguel Vieira
Henrique Leis (Almancil), Henrique Leis
LAB (Penha Longa, Sintra), Sergi Arola
L’And Vineyards (Montemor-o-Novo, Alentejo), Miguel Laffan
Loco (Lisboa), Alexandre Silva
Pedro Lemos (Porto), Pedro Lemos
São Gabriel (Almancil), Leonel Pereira
William ( Funchal, Madeira), Luís Pestana
Willie’s (Vilamoura), Willie Wurger

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]