Já ouviram falar na tendência “spinders”? Nós também não. Mas, aparentemente, é mesmo uma tendência que alguns dos que estiveram no Portugal Fashion conhecem e gostam. O problema, é que ela não existe, foi inventada pela MAGG.

Pensámos num nome que pudesse ser o nome de uma qualquer tendência de moda, e a ela juntámos um nome de um suposto estilista. “Spinders” era a tendência, Jair Bolsonaro era o criador que a tinha lançado na semana de moda de Nova Iorque. E andámos pelo Portugal Fashion a perguntar a muitas pessoas se a conheciam, e se conheciam o estilista Jair Bolsonaro. Houve quem afirmasse conhecer a tendência, houve quem só conhecesse o estilista (atenção, não é só nome, é o trabalho), e houve ainda quem conhecesse tão bem este estilista e esta tendência que soube até identificar “o ADN da marca”.

Crónica de um espião no Portugal Fashion #03. Boobing, dummying e bimbs são as novas tendências

No fim de semana em que tanto se fala de um vídeo que Bolsonaro partilhou há mais de um ano na sua conta de Twitter, em que aparecia com uma camisola do FC Porto, aproveitámos para perguntar ainda às mesmas pessoas sobre o uso das riscas azuis e brancas nas coleções do “estilista”. Todos adoram. Mas é a mistura entre animal print e color block, definição que demos para “spinders”, que faz mais sucesso entre os fãs da tendência e do “estilista”.

Em 11 entrevistados, apenas um admitiu não conhecer a tendência “spinders” e afirmou saber quem realmente é Jair Bolsonaro. Caso Bolsonaro não ganhe as eleições, tem pelo menos toda uma carreira como estilista pela frente.