Para a história ficou como o rei da pop. Michael Jackson nasceu a 29 de agosto de 1958 e teve uma carreia notável, tendo sido até 2018 o detentor do álbum mais vendido de sempre, “Thriller”, que foi Disco de Platina 33 vezes  — o álbum foi apenas destronado pela colêtanea de êxitos “Their Greatest Hits 1971-1975”, dos “Eagles”, em agosto deste ano. Começou a cantar com os seus irmãos na banda “The Jackson 5” e lançou êxitos como “Bad”, “Man in the Mirror”, “Billie Jean” e “Thriller”, entre tantos outros.

A sua vida incrível como artista só terminou com a morte prematura em 2009, depois de uma overdose de comprimidos para dormir, que resultou num ataque cardíaco. Mas a vida Michael Jackson está cheia de altos e baixos, vídeos épicos e episódios caricatos. No dia em que se tornaria sexagenário, recorde seis momentos inesquecíveis (por boas e más razões) da vida do eterno rei da Pop.

O nascimento do “Moonwalk”

É um dos passos de dança mais famosos do mundo mas, como tudo na vida, também teve uma primeira vez: o “Moonwalk”, eternizado por Michael Jackson, nasceu a 25 de março de 1983, enquanto o artista interpretava o êxito “Billie Jean” num especial de 25 anos da Motown.

Histórias de Aretha Franklin, a mulher que cantou o feminimo

Bubbles: o fiel companheiro de Michael

No seu rancho megalómano, Neverland, Michael Jackson tinha um pouco de tudo: para além de vários hectares, divisões de luxo e parques de diversões, tinha também chimpanzés. Entre os vários animais que viviam no rancho, o chimpanzé favorito do cantor respondia pelo nome de Bubbles e, de acordo com o documentário “Living with Michael Jackson: A Tonight Special” , este usava a casa de banho privada da estrela da pop e conseguia desempenhar tarefas domésticas, tais como varrer e limpar janelas. Porém, a amizade de Bubbles e de Michael Jackson chegou ao fim em 1991, depois de, alegadamente, o animal ter esmurrado o cantor na cara, tendo sido o chimpanzé retirado de Neverland.

Duas caras, a mesma pessoa

Diagnosticado com vitiligo e lupus, e recorrendo a muita maquilhagem para esconder os efeitos das doenças na pele, a partir da década de 80 foram notórias várias alterações no rosto de Michael Jackson: o nariz ficou cada vez mais pequeno, o cantor perdeu bastante peso, mas a alteração mais evidente foi mesmo o tom de pele, que se tornou bastante mais claro. Acusado pelos media e até por elementos da família de ser vaidoso e querer afastar-se das suas raízes afro-americanas, Michael Jackson lançou o êxito “Black or White” a 5 de novembro de 1991, focando-se a letra na pouca importância que tinha ser “preto ou branco”. Para não variar, o vídeo da música também alcançou recordes — estreou simultaneamente em 27 países, com uma audiência de 500 milhões de pessoas.

O beijo mais estranho de sempre

https://www.youtube.com/watch?v=qvqecWlK1sU

Recém-casados, Michael Jackson e Lisa Marie Presley (a filha de Elvis Presley) surgiram no palco da edição de 1994 dos MTV Video Music Awards. Levando o público ao delírio, o cantor, de mãos dadas com a mulher, dirigiu-se à plateia dizendo “e pensar que ninguém acreditava que isto durasse”, e seguiu-se o beijo mais estranho e peculiar alguma vez visto num evento do género. Dois anos depois, após o divórcio do casal, Lisa Marie Presley confessou numa entrevista que o ex-marido tinha insistido com ela para que o beijo acontecesse.

Estas são as 5 canções mais tristes de sempre, segundo o Spotify. Já as ouviu todas?

“Varandagate”: o escândalo na Alemanha

Em 2002, enquanto Michael Jackson visitava Berlim, dezenas de fãs reuniram-se na entrada do hotel onde o cantor estava hospedado. Pai de um bebé há pouco tempo, Michael Jackson quis agradar aos fãs e surgiu na varanda com o filho recém-nascido, enquanto acenava aos mesmos. O único problema foi ter segurado o pequeno bebé pelo pescoço, enquanto o balançava fora da varanda, a vários andares do chão e colocando em perigo a criança. Mais tarde, numa entrevista, o cantor referiu-se ao infeliz episódio como um “terrível erro”.

Artista do Milénio. E daí, talvez não

Na cerimónia de 2002 dos MTV Video Music Awards, que decorreu no dia de aniversário de Michael Jackson, a produção do evento resolveu assinalar a data. Britney Spears subiu ao palco e, em frente a um bolo de aniversário destinado a Michael Jackson, referiu-se a este como o “artista do milénio”. Michael, que aguardava para entrar em cena, confundiu-se e, ao ouvir o discurso da cantora, achou que lhe estaria a ser entregue um prémio inexistente que o considerava o “artista do milénio”. “Se alguém me tivesse dito, enquanto eu era uma pequena criança a crescer no Indiana, que um dia iria ganhar o prémio de Artista do Milénio, nunca teria acreditado”, disse o cantor num tímido discurso, onde também agradeceu aos pais e ao ilusionista David Blaine.