Lisboa é uma das 20 cidades mais saudáveis do mundo

Num ranking mundial que mede fatores como o número de ginásios e espaços verdes, obesidade ou a exposição ao sol, Lisboa ficou no top 20.

Não é preciso um curso de medicina nem uma formação em desporto para ter noção daquilo que nos torna mais saudáveis. Trocar a torrada com manteiga e o galão de pequeno-almoço por papas de aveia é um começo, assim como trocar o sofá por umas horas no ginásio ou a dar umas caminhadas ao ar livre.

Não estamos aqui para dar lições de moral nem para dizer pela milionésima vez aquilo que já é de senso comum. Estamos aqui sim para mostrar que há coisas que, ainda que fujam ao nosso controlo, podem ajudar a tornar a nossa vida mais saudável. É o caso da cidade que escolhemos para viver.

Foi exatamente esse o objeto de estudo da Spotahome, uma agência de aluguer de casas que reuniu dados da OMS, OCDE, TripAdvidor e até da CIA World Factbook, documento publicado todos os anos pela agência norte-americana que resume dados sobre a demografia, telecomunicações, governo, indústria ou capacidade militar de todos os países e territórios do mundo reconhecidos diplomaticamente pelos Estados Unidos da América. Com tudo isto em mãos e com todos os cruzamentos de dados feitos, chegou-se à conclusão que existem cidades mais saudáveis que outras e Lisboa está no top 20.

Para esta análise, foram tidos em conta fatores como a média de horas de sol do país, a esperança média de vida à nascença, o número total de dias de férias, a qualidade do ar e da água e até o número de ginásios disponíveis ou a quantidade de pontos de carregamento de carros elétricos. Todos estes pontos foram avaliados de 0 a 10 e, quando reunidos, deram a cada uma das 89 cidades analisadas, um número final.

Lisboa conseguiu atingir o número 18 desta lista, com uma nota final de 6.02, muito graças ao balanço que os portugueses conseguem fazer entre o trabalho e o tempo livre. Em Portugal, apenas 8% dos trabalhadores admitem trabalhar mais do que 50 horas semanais, quando a média da OCDE é 13%. A esperança média de vida à nascença em Portugal é de 79,4, uma média que faz com que de zero a dez, Portugal consiga um respeitável 7.26.

No que diz respeito a horas de exposição solar, Portugal não dá hipótese ao resto do mundo. No ranking das vinte cidades mais bem posicionadas, só Brisbane e Camberra, na Austrália, superam Lisboa. Portugal tem à volta de 2500–3200 horas de sol por ano, uma média de 4 a 6 horas no inverno e 10 a 12 horas no verão.

O calcanhar de Aquiles de Lisboa está no número de postos de carregamento de veículos elétricos e nos números da obesidade. Não admira. É que apesar de estarem a ser registadas melhorias, Portugal ainda é o quinto país com mais crianças obesas na Europa e cerca de 60% dos portugueses são obesos ou vivem em risco de desenvolverem essa condição.

A liderar a lista de países mais saudáveis está Amesterdão, com uma avaliação total de 6.97, graças às horas de trabalho adequadas e à quantidade de sítios disponíveis para carregar carros elétricos. É que se o assunto fosse horas de sol, passavam imediatamente para o fim da lista.

O podium fica completo com Oslo e Munich, seguida de Roterdão, Berlim, Tallin e Viena.

Lista completa das cidades mais saudáveis do mundo:

  1. Amesterdão (6.97)
  2. Oslo (6.61)
  3. Munique (6.60)
  4. Roterdão (6.60)
  5. Berlim (6.52)
  6. Tallin (6.36)
  7. Viena (6.31)
  8. Adelaide (6.31)
  9. Helsínquia (6.30)
  10. Perth (6.30)
  11. Brisbane (6.27)
  12. Estocolmo (6.21)
  13. Hamburgo (6.20)
  14. Camberra (6.15)
  15. Valencia (6.12)
  16. Gotemburgo (6.06)
  17. Liubliana (6.03)
  18. Lisboa (6.02)
  19. Copenhaga (6.00)
  20. Wellington (5.93)
Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. martacerqueira@magg.pt