No sábado, 21 de abril, corre-se aquela que será a prova ideal para quem gosta de correr mas não dispensa uma noite de copos e convívio.

Na Scalabis Night Race, em Santarém, pode bem esquecer os abastecimentos feitos à base de água, bananas e bebidas energéticas. Estes corredores movem-se à base de vinho tinto, pampilhos e bifanas e são muitos os espaços com música, dança e artes performativas que fazem esquecer que, na verdade, vai-se ali para correr dez quilómetros.

A prova tem um percurso com partida e chegada no Jardim da Liberdade e quem preferir pode optar pela mini race de 5 quilómetros. É a maneira de despachar rápido essa parte e ficar apenas a desfrutar de uma das corridas mais emblemáticas do país.

Exemplos como estes são replicados um pouco por todo o lado. Deixamos aqui uma lista de corridas nas quais a festa começa com o tiro de partida.

Corrida das Fogueiras

É considerada a corrida noturna mais famosa do país. São milhares as pessoas que rumam a Peniche para uma corrida de 15 quilómetros (existe a opção de correr apenas cinco) que acontece à noite, num percurso iluminado por fogueiras e que culmina numa sardinhada.

A Corrida das Fogueiras teve a sua primeira edição em 1980, integrada nos Jogos Juvenis de Peniche e nesta prova participaram cerca de 80 atletas, na sua maioria daquela cidade. As 4 mil inscrições disponíveis esgotam-se em pouco tempo.

Este ano realiza-se a 30 de Junho.

A primavera chegou. 9 grupos para treinar na rua (dos 0€ aos 20€)

Trilho das Aguardentes

A organização garante que os quilómetros corridos servem para “destilar a aguardente”, o que deixa subentendido que haverá abastecimentos especiais antes, durante e depois da prova. Este é um evento misto com três distâncias de trail e uma de caminhada em ambiente natural, que passa por cascatas, ribeiros e as vinhas onde é produzida a Aguardente da Lourinhã. Data para a edição deste ano: 8 de Setembro.

Color Run

Esta não chega bem a ser uma corrida. Ou melhor, corre-se, mas o que importa aqui é acabar os cinco quilómetros com o corpo pintado com máximo de cores que é possível. As regras são apenas duas: começar a corrida com a tshirt branca e terminar sem que se veja branco. Para isso, pelo caminho, participantes e voluntários contam com jatos de tinta colorida e, no final, há música, dança e, claro, ainda mais cores.

Já aconteceram um pouco por todo o país  e o próximo evento está marcado para dia 27 de Maio, em Coimbra.

Como é que o exercício físico melhora o nosso cérebro

Corrida de Santo António

Acontece durante as festas de Santo António, em Lisboa, e só por isso conta com um percurso naturalmente mais animado.

Com partida e chegada na Praça D. Pedro IV, os atletas percorrem dez quilómetros pelas principais artérias ribeirinhas da cidade. No final, o prémio vem em forma de cerveja e bailarico e, pelo menos na edição do ano passado, todos os atletas levaram um manjerico para casa. A edição deste ano já tem data marcada: 2 de junho.

Pinga Trail

A primeira edição aconteceu no ano passado e o sucesso foi tal que já há data para este ano. Assim, a 18 de novembro volta-se a correr em Arruda dos Vinhos, com opções de trail longo (25 quilómetros), curto (15 quilómetros) e caminhada. O evento faz parte do programa da “Festa do Vinho e da Vinha” e, por isso, em todos os abastecimentos há álcool. No final, recomenda-se um repasto regenerador numa das muitas tascas representadas na feira.

São Silvestre

A mais antiga acontece no Funchal desde 1959 e a mais tradicional corre-se na Amadora, agora, e como sempre, no último dia do ano. As São Silvestre estão quase tão ligadas à passagem de ano como as passas e o champanhe.

E em vésperas de comemorar mais um ano, o que importa, mais do que os quilómetros, é o convívio. Vai daí que muitas delas tenham vindo a encurtar o percurso para chamar mais gente ou se tenham associado a causas solidárias. Há também aquelas, que ao longo dos anos vão acumulando tradições que as tornam únicas. A do Sado, em Setúbal, por exemplo, tem sempre um convívio no final com caldo-verde, bifanas e vinho. Já em Quarteira, come-se bolo-rei, acompanhado de chá.