Editorial

por Marta Gonçalves Miranda

Editorial. A Marta vai mudar a vossa vida

Esta semana, a MAGG lançou a 1.ª crónica relacionada com sustentabilidade. Preparem-se: a Marta vai mudar a vossa vida como mudou a minha.
por Marta Gonçalves Miranda

Como é que os miúdos não iam criar grupos de ódio?

A nossa jornalista recebeu vários insultos nas redes sociais. Irónico, não é verdade?
por Marta Gonçalves Miranda

Não, a história de Ângelo Rodrigues não é ridícula

Acusam-no de ser vaidoso e de não ter nada na cabeça. E acusam-nos de explorar o tema. Será que não faz sentido falar no lado negro do fit?
por Ricardo Martins Pereira

Editorial: Casas de banho não são o mais relevante

A discriminação por orientação sexual é uma gota num oceano escolar doente. O que está a ser feito para resolver casos graves mais graves?
por Marta Gonçalves Miranda

Editorial. O grande problema da greve somos nós

Desacatos, discussões, filas intermináveis e jerricãs na mala do carro. Transformámo-nos em animais e a greve dos motoristas nem começou.
por Marta Gonçalves Miranda

Vamos parar com a piada do estagiário, por favor

O texto está mal escrito? Foi o estagiário. O tema não é interessante? Foi o estagiário. Quando é que arranjamos outra piada?
por Ricardo Martins Pereira

Onde é que andam os pais destas crianças?

Onde vai parar o caso Team Strada? Como é que os pais destes miúdos nunca viram estas coisas? E agora o que vão fazer?
por Marta Gonçalves Miranda

Não podemos ignorar: há crianças a suicidarem-se

Fingimos que o assunto não existe, mas os números são assustadores — e as mortes acontecem cada vez mais cedo. Sam tinha apenas 14 anos.
por Marta Gonçalves Miranda

Mas afinal o que é isso de pensar demais?

O mundo divide-se em dois: os que pensam demais e os que não pensam em coisa nenhuma. Deixem-me ser feliz no primeiro grupo, por favor.
por Marta Gonçalves Miranda

Podemos falar sobre a canção de Bárbara Bandeira?

O namorado é infiel, mas as outras é que estão com "fome". Assim é a nova canção da artista, "Larga-me Essas".
por Ricardo Martins Pereira

Estamos a criar uma sociedade de indignadinhos

Já não há gente feia, nem gorda, não há homens, nem mulheres. E ai de quem diga o contrário.
por Marta Gonçalves Miranda

Sabem que não existem cinzeiros em Lisboa?

Os poucos caixotes do lixo com cinzeiros são um perigo para quem não apaga (mesmo) bem a beata. Aceito as multas — se me derem condições.
por Marta Gonçalves Miranda

Carta aberta a David Carreira, o "rei" disto tudo

O rei foi top esta semana, passou a perna aos jornalistas. Lol. Lolz. Lolada. Emojis. Bem, vamos a uma lição do que é o jornalismo, David?
por Marta Gonçalves Miranda

Sim, o bullying dói. E não, nós não fazemos nada

Sofri de bullying na infância e ninguém fez nada. Durante anos, acreditei que não valia nada. 21 anos depois, está tudo igual no ensino.
por Ricardo Martins Pereira

Mas alguém quer saber das Europeias?

Os partidos querem eleger eurodeputados, ponto. E para isso vale tudo menos discutir a Europa. Até porque isso aborrece as pessoas.
por Marta Gonçalves Miranda

Já chega de sermos cabras umas para as outras

Sara escreveu um texto a perguntar se se pôs a jeito na noite em que foi violada. Os comentários deixados por mulheres foram aterradores.
por Marta Gonçalves Miranda

Editorial. O assédio moral no local de trabalho

Há dias em que liderar uma equipa é uma chatice. Mas exigir horas extra ou gritar é apenas uma solução a curto prazo — e com consequências.
por Marta Gonçalves Miranda

Editorial. Já ninguém quer saber do que é verdade

Não houve orgias nem sexo com Ana Zanatti, mas o que é que interessa? João André conseguiu um vídeo viral e o "Correio da Manhã" cliques.
por Marta Gonçalves Miranda

90% do meu curso universitário foi uma anedota

António Rolo Duarte foi ao "Prós e Contras" e disse que as universidades portuguesas são uma "anedota" e uma "tragédia". Estará errado?
por Marta Gonçalves Miranda

Desculpem, mas os leitores não querem jornalistas

Somos todos umas bestas. Não sabemos escrever, damos erros ortográficos, escolhemos temas patéticos e cultivamos a estupidez alheia.
por Marta Gonçalves Miranda

Não queremos crianças de 4 anos com ansiedade

Tinha 29 anos quando tive o primeiro ataque de pânico. Alexandre passou pelo mesmo quando tinha apenas 8 anos, Duarte tinha 6, Inês 4.
por Marta Gonçalves Miranda

Maria Leal lançou uma música e Portugal parou

Maria Leal não é uma vítima. Aquela personagem foi construída e ela tem consciência do ridículo. Mas foi o ridículo que lhe deu fama.
por Marta Gonçalves Miranda

Editorial. Sabem que sempre houve roupa unissexo?

Parece que a Zippy descobriu a pólvora: roupa sem género. Não é exatamente como se existisse há décadas uma coisa chamada roupa unissexo.
por Marta Gonçalves Miranda

Maddie, Jackson, CR7 e as diarreias verbais 

Ainda há quem acredite que Kate e Gerry McCann mataram a filha. O argumento é sempre o mesmo: "Epá, só podem ter sido eles".
por Marta Gonçalves Miranda

Editorial. O bullying, o jornalismo e os números

Nos últimos dias, a MAGG foi alvo de várias críticas. Um dos temas mais discutidos foi uma notícia sobre Cristina Ferreira.
por Marta Gonçalves Miranda

Editorial. Vamos falar sobre relações tóxicas

Eu vivi uma relação tóxica. Duas das minhas melhores amigas viveram uma relação tóxica. A mãe de uma amiga viveu uma relação tóxica.
por Marta Gonçalves Miranda

Editorial. Somos todas #MeToo ou só falsas?

Irina é uma mulher e assiste nos bastidores a um mundo que se uniu contra ela para juntar o marido a outra. Tudo por causa… de um filme.
por Marta Gonçalves Miranda

Deixem-me ser mulher e gostar de cor-de-rosa, ok?

Queremos a todo o custo uma sociedade sem género. Parece que é a nova moda, sem mulheres nem homens não ofendemos ninguém.
por Marta Gonçalves Miranda

Ainda o 10-0 do Benfica e o politicamente correto

Estamos a criar um mundo cinzento, um mundo onde ninguém pode fazer uma piada porque alguém termina ofendido.
por Marta Gonçalves Miranda

Será que os jovens são mesmo uns preguiçosos?

A minha geração era feita de tansos. A geração que chega hoje ao mercado de trabalho é feita de credores de direitos.